Pedido de afastamento de Galileu é rejeitado; veja os detalhes

Luciano Vidal

Maria Tereza Oliveira

Os vereadores rejeitaram hoje, 6, o pedido de afastamento do prefeito Galileu Machado (MDB). Essa foi a terceira denúncia apreciada pela Câmara que poderia resultar em um impeachment do prefeito. Abaixo, a linha do tempo da votação.

9h37: O vereador Sargento Elton (Patriota) não participa da votação por ser autor do pedido de investigação. Seu suplente, Carlos Eduardo Magalhães (PRB), que obteve 1.005 votos na última eleição, terá direito a voto. 

9h50: Até o momento, o prefeito Galileu Machado não apareceu na Câmara.

10h00: Acaba a leitura do primeiro relatório, o oficial. No aguardo para sabermos se será feita a leitura do relatório alternativo.

10h02: Mesmo fazendo parte da Comissão Parlamentar (CP), o vereador Roger (Pros) não assinou o relatório. Em suas palavras:

— Não é função do executivo legislar sobre normas federais. Além disso, destaca: — Sobre a negociação dos cargos, a troca de favores para quem não estava apto a trabalhar é equivocada — afirmou.

10h07: Roger conclui sua fala dizendo "o relatório alternativo julga procedentes as denúncias".

10h09: Com a palavra o vereador Renato (PSDB), que é relator da CP. 

— É necessário ter responsabilidade. Eu atuo com auxílio de assessores e estudo para fazer a escolha correta — disse.

10h13: Ele prossegue seu discurso falando:

— Defendo o decreto e enalteço a iniciativa. É uma medida educativa. Vou fazer um anteprojeto para voltar com esta iniciativa (decreto do rotativo).

Sobre a oferta de cargos, ele destacou a pasição do MP.

— O Ministério Público já decidiu sobre a situação. O Marreco só levou o assunto ao público porque o cargo não atendia às suas expectativas — pontuou. 

10h20: A vereadora Janete (PSD) está com a palavra.

— É triste a votação de impeachment de qualquer líder que foi eleito democraticamente, mas é dever do legislativo cumprir o papel de fiscalização. Não vejo problema o uso do procurador na tribuna. Sobre o rotativo ela diz não ver problema no decreto — afirma.

10h24: Sobre a possível negociação de cargos, Janete diz "Galileu tem direito de nomear quem quiser para comissionados. No entanto, a partir do momento em que Marreco diz que não tem capacidade para exercer a função e Galileu diz que não tem problemas, é inconstitucional. Fere a constituição". Janete ainda disse que, no terceiro ponto, o prefeito cometeu infração.

— No terceiro ato Galileu errou e ele cometeu improbidade. Ela termina dizendo que votará contra o relatório por esses motivos mencionados — conclui.

10h28: O vereador Marcos Vinícius (Pros) com a fala.

— Não cabe discutir se Galileu está fazendo mandato bom ou ruim, o que se discute são os três pontos da denúncia que foram devidamente apuradas — explica.

10h36: Sobre o uso da tribuna feito pelo procurador, ele diz que Wendel é concursado então não teria motivos eleitoreiros para usar a tribuna e termina dizendo que não houve infração na questão.

10h40: Ele disse que ouviu os áudios várias vezes e não viu improbidade na questão do Marreco. 

— As eleições são ano que vem, e aí sim o Galileu será avaliado. Mas nestas três questões não faz sentido tirar ele do cargo — finaliza.

10h45: Eduardo Print (SD), presidente da CP, acusou a oposição de querer tirar o Galileu do cargo a todo custo. Ele disse que nenhuma das três acusações significam infração cometida pelo prefeito. 

10h50: ATENÇÃO: Print falou que o vice-prefeito foi na casa dele menos de 12h antes da reunião. Disse que o Rinaldo Valério (DC) foi em sua casa pela primeira vez. De acordo com Print, ele alertou o Rinaldo para ter cuidado com as palavras. O vice disse que não achava que o Galileu cometeu qualquer crime e que está sendo perseguido pela população. Ele ainda disse que alertou ao Rinaldo de que eles estavam o usando de isca para a campanha do ano que vem. Finalizou dizendo que se Rinaldo tivesse interesse, ele iria mais à Prefeitura, que segundo o vereador, ele não vai há seis meses!

11h00: César Tarzan (PP) falou que o Marreco disse que Galileu ofereceu um cargo para que ele não denunciasse uma forte notícia que o faria perder o cargo. Todavia, até então o Marreco nunca contou qual era a denúncia. Tarzan falou que inclusive perguntou várias vezes qual foi a denuncia que o derrubaria e que ainda espera que o Marreco use a tribuna para revelar. Sendo assim, segundo ele, isso torna claro que ele (Marreco) é mais um que apoiou o Galileu e depois se revoltou por não ter ganhado o cargo que queria. 

11h10: O suplente do vereador Sargento Elton, Carlos Eduardo Magalhães (PRB), negou ter se encontrado com o vice-prefeito. 

11h22: Rodrigo Kaboja (PSD) enaltece o Galileu, e o compara com Getúlio Vargas, tendo sido perseguido pelos opositores. Citou que querem ganhar no tapetão, já que não ganharam nas urnas.

11h32: Adair Otaviano (MDB) defende Galileu e diz que o denunciante não conseguiu provar que o prefeito executou os crimes. Isso porque, segundo ele, Galileu não cometeu infração. Ele finaliza dizendo que votar pela cassação é um afronte a democracia brasileira. 

11h45: Segundo Adair, "Galileu construiu metade da cidade".

11h48: Edson Souza (MDB) é o último vereador a se pronunciar.

12h00: Todos os vereadores usaram seu tempo de fala. 

12h30: O prefeito Galileu Machado foi absolvido na denúncia I (excesso de competência) por 12 votos contra, e 4 a favor. Com relação a denúncia II (violação a princípios da administração pública) o número de votos contrários foram 11 e a favor 5. Já a denúncia de infração III (chefe do Executivo usado a estrutura pública em proveito próprio), 12 votaram contra e 4 a favor. Com isso, o prefeito permanece no cargo.

Comentários
×