Batendo Bola

José Carlos de Oliveira

jcqueroviver@hotmail.com.br

Paulistas começam ano com vexames

He He! Não adianta nada a imprensa bairrista puxar a sardinha para o lado dos paulistas, que o castigo sempre vem. Nem bem começou o ano, e as duas maiores decepções no futebol brasileiro foram protagonizadas por duas equipes de São Paulo.

O tricolor paulista caiu ainda na fase de pré-Libertadores, sendo eliminado pelo modesto Talleres, da Argentina, enquanto o Santos ficou de fora da próxima fase da Copa Sul-americana ao empatar no Pacaembu, com o River Plate, mas o falso, o do Uruguai.

Aberração

E, por falar no futebol paulista, vem das bandas de lá a maior aberração que alguém poderia sequer imaginar, nem mesmo em seus sonhos mais malucos. Em seus devaneios de grandeza, o tal de Corinthians decidiu criar uma nova religião: o Corinthianismo.

Cuidado, que o castigo pode vir a cavalo. Com as coisas de Deus não se brinca jamais.

 

MANGUEIRAS BRASIL

 

Torcedor é o mais prejudicado

Em vez de incentivar a presença da torcida nos estádios, as federações e confederações pelo mundo afora fazem é de tudo para afastar os torcedores dos campos de futebol. Inventam leis as mais esdrúxulas, proibindo o torcedor de tudo que se possa pensar.

De deveres este pessoal conhece muito bem, mas de dar aos torcedores seus direitos não querem nem pensar. Ou este pessoal cria vergonha na cara, ou o futebol se tornará um esporte apenas para determinados grupos.

A hora e a vez das mulheres

Com a imposição da Confederação Sul-americana de Futebol (Conmebol), que obriga os clubes que queiram disputar torneios realizados e organizados no continente a manter equipes profissionais e de base no futebol feminino, as mulheres começam a ganhar espaço em grandes clubes do Brasil.

Minas Gerais

Aqui pelas bandas de Minas Gerais, em épocas remotas, os dois maiores clubes do estado até se aventuraram com o futebol feminino, mas depois ‘deram uma banana’ para as mulheres, que não tinham mais espaço nos dois grandes.

Em Minas, apenas o América, além de alguns clubes do interior e o futebol amador da capital davam vez e oportunidade às meninas. Agora a história será diferente.

Apresentação

Na tarde de ontem o Cruzeiro deu o pontapé inicial no projeto do time feminino, com a apresentação do elenco que disputará o Campeonato Brasileiro A-2, a segunda divisão do futebol feminino, que começa já neste mês de março.

Clássico

E o primeiro clássico do futebol feminino já tem data para acontecer. Para festejar o mês da mulher, Atlético e América decidiram promover um duelo entre seus times femininos. O clássico será disputado no Mineirão, no dia 23 de março, com entrada franca. O ingresso será a doação de produtos de higiene pessoal, que serão repassados para uma ONG de Belo Horizonte.

Valorização

O Atlético lançou recentemente sua equipe feminina. As atletas realizam trabalhos na Arena Inconfidência, no bairro Concórdia, região Nordeste de Belo Horizonte. Antes relegadas a um segundo plano, as jogadoras do Galo já sentem na pele a novidade: recebem salário para fazer o que gostam e ainda sentem o reconhecimento e o carinho do torcedor nas ruas da capital.

Cobrar, sim, mas apoiar também

Tem muita gente revoltada com a situação do Guarani na tabela de classificação do Campeonato Mineiro. E não era para menos, afinal, o time não vem correspondendo aos anseios da torcida. Mas, uma coisa é não ficar satisfeito com a situação, e outra, bem diferente, é abandonar o barco antes da hora.

Tem, sim, que haver cobrança, mas, acima de tudo, o verdadeiro torcedor do Bugre não pode deixar de apoiar o time. É nas horas difíceis que ele pode fazer a diferença. E seu apoio é fundamental nestas horas.

Para os jogos contra o Tombense e a URT, no Farião, a força das arquibancadas tem que ser o diferencial do time. Ir ao campo e ser o 12º jogador do time é tudo que se espera do torcedor nestas horas. Se tiver que vaiar, espere o final da partida.

E vamos que vamos, Bugre!

Comentários
×