Partos crescem no Samu e levam a treinamento

 

 

Gisele Souto 

A hora do parto é o momento mais sonhado pelos pais, principalmente pela mãe. Porém, nem sempre ele acontece da forma que elas gostariam. Algumas vezes, por falta de acompanhamento adequado, outras vezes porque o bebê resolve nascer antes da hora. Assim, não dá tempo se chegar ao socorro médico adequado. Por isso, muitas vezes, quando o Corpo de Bombeiros ou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegam, a criança já nasceu em casa ou nasce dentro das viaturas.

Em Divinópolis, várias ocorrências destas já foram registradas. Até o início de 2017, apenas pelos Bombeiros; a partir de junho do mesmo ano, o Samu passou a ser a referência para este atendimento. Para se ter uma ideia, as ambulâncias do serviço de urgência já realizaram 11 partos na região Centro-Oeste. Destes, dois foram em Divinópolis.

Preparados 

Para fazer este atendimento, além da formação é preciso um preparo adequado. Neste sentido, todos os colaboradores do Samu que atuam na área assistencial são da área da saúde, incluindo técnicos de enfermagem, condutores socorristas, enfermeiros e médicos. Estes profissionais tripulam as Unidades de Suporte Avançado (USA) e as Unidades de Suporte Básico (USB) distribuídas na região.

Além de suas capacidades, todos os colaboradores passam constantemente, desde a inauguração do serviço, por treinamentos e capacitações para aperfeiçoar os atendimentos pré-hospitalares no âmbito da urgência e emergência.

Não é a meta 

Segundo informações da assessoria de comunicação do Samu, a intenção não é criar uma especialidade em partos no serviço, visto que o Samu por sua origem é voltado ao atendimento emergencial. Neste caso, ainda de acordo com as informações, todos os agravos em urgências fazem parte da finalidade de atendimentos e, claro, isso inclui urgências obstétricas, como partos e transporte neonatal.

Capacitação 

Para capacitar ainda mais estes profissionais, ocorre hoje e amanhã o Curso de Urgências Obstétricas e Transporte Neonatal para profissionais da saúde da rede de urgência e emergência, incluindo os colaboradores do Samu. O treinamento terá início nos dois dias às 8h e se encerrará às 17h no auditório da Faculdade Pitágoras em Divinópolis.

A mortalidade neonatal, principalmente na primeira semana de vida, representa mais da metade do percentual de mortes infantis. Portanto, para a redução desse índice por causas evitáveis, é importante que recém-nascidos recebam de toda equipe médica atenção resolutiva.

O diretor do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região Ampliada Oeste (Cis-Urg), José Márcio Zanardi, diz que o treinamento faz parte do processo de capacitação permanente dos profissionais do Samu.

– O objetivo é treinar, aperfeiçoar e capacitar nossos profissionais e toda rede para um atendimento com eficiência e qualidade para a nossa população – explica. 

O diretor técnico do Samu, Marco Aurélio Lobão, diz que a criança não é um adulto pequeno, pois têm todas as particularidades da assistência, como as doenças das fases, neonatal e infantil. Segundo ele, é um transporte muito sensível e exige todos os cuidados especiais, assim como é assistência ao parto, uma situação de emergência, sendo preciso estar pronto para dar a resposta naquele momento.

– Não queremos afirmar que os médicos se tornarão especialistas em partos, nem que eles ocorram nas ambulâncias, mas, quando ocorrerem, que estejamos preparados – enfatizou.  

 

Comentários
×