Parte do Centro Administrativo segue desocupada e Prefeitura paga aluguéis

 

 

Pollyanna Martins

 O Centro Administrativo da Prefeitura de Divinópolis ainda não está 100% ocupado pelas secretarias municipais. Inaugurado pelo ex-prefeito Vladimir Azevedo (PSDB) em dezembro de 2016, a construção custou aos cofres públicos R$ 22,2 milhões. A promessa era de que o prédio gerasse uma economia de cerca de R$ 10 milhões nos quatro anos seguintes à sua inauguração.

Ao todo, a Prefeitura conta com 15 pastas: Assessoria Especial de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Controladoria Geral, Procuradoria Geral, as secretarias municipais de Agronegócio, Cultura, Desenvolvimento Social, Educação, Fazenda, Meio Ambiente e Políticas Urbanas, Obras Públicas, Saúde, Trânsito e Transportes, Administração, Orçamento e Informação, Esportes e Juventude e a Superintendência Usina de Projetos.

De acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura, até o momento estão instalados no Centro Administrativo: o Setor de Protocolo, os gabinetes do prefeito e vice-prefeito, a Controladoria Geral, a Ouvidoria, a Procuradoria Geral, Procuradoria Adjunta Fazendária, as secretarias municipais de Administração, Orçamento e Informação, de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Turismo, de Fazenda, de Governo e  a Superintendência da Usina de Projetos. Em agosto de 2017, a secretária municipal de administração, Raquel de Oliveira Freitas, garantiu em entrevista ao G1, que no final do ano o prédio estaria 100% ocupado pelo restante das pastas.

Na época, a secretária alegou ainda que o segundo andar do Centro Administrativo estava com problemas na rede elétrica e que precisava de ajustes para abrigar a Secretaria de Meio Ambiente e a Caixa Econômica Federal.

— Estamos trabalhando para que estes problemas sejam solucionados até outubro. Dessa forma, todo o espaço do Centro Administrativo terá toda sua capacidade ocupada — afirmou.

Ainda de acordo com Raquel, a ocupação total do prédio representaria uma economia de R$ 1.379.858,04 para o Município, referente aos aluguéis pagos pelas secretarias municipais que estão espalhadas pela cidade.

— Assim, estamos concluindo a ocupação do Centro Administrativo, o que permite uma readequação na utilização do prédio onde funcionava a Prefeitura, priorizando a economia com aluguel — garantiu.

Sem previsão 

Apesar da afirmação de Raquel de Oliveira de que o Centro Administrativo seria ocupado pelo restante das secretarias municipais, a assessoria de imprensa do Poder Executivo informou ontem ao Agora que não há previsão para que esta mudança ocorra. Conforme informou a assessoria, o segundo andar ainda está em acabamento. Somente após a finalização do andar, as pastas irão para o prédio.

 

Comentários
×