Parque da Ilha em Divinópolis é interditado

Da Redação

A Vigilância em Saúde voltou a recomendar à Prefeitura de Divinópolis restringir, nesta terça-feira, 7, o acesso do público ao Parque Ecológico Sebastião Gomes Guimarães (Parque da Ilha). Uma varredura realizada no sábado, 4, constatou infestação do carrapato estrela, responsável por transmitir a febre maculosa. Outro motivo para interdição é que os frequentadores não respeitam as placas de advertência. 

Em agosto do ano passado, a Vigilância em Saúde restringiu, pela primeira, o acesso do público. Em janeiro deste ano, o parque foi reaberto. A Vigilância em Saúde realizou outras duas varreduras, e, encontrado menor índice de vetor da doença, o Parque da Ilha poderia continuar aberto ao público. Em 12 de abril, a Secretaria Municipal de Saúde interditou o Parque da Ilha para dedetização do local.

Uma nova varredura no sábado identificou os carrapatos dentro da mata. De acordo com a Vigilância em Saúde, o volume encontrado é suficiente para interromper o acesso ao público.

— Encontramos um número muito alto de carrapatos dentro da mata, por isso o risco cresce. Então, informamos [a infestação] à comissão criada para combater a febre maculosa a fim de fechar o Parque da Ilha ao público — afirmou a diretora da Vigilância em Saúde, Janice Soares. 

Outro motivo apontado pela Vigilância em Saúde é que as placas não estão sendo respeitadas.

— Temos vários relatos de que freqüentadores entram na mata, onde os carrapatos estão concentrados, mesmo com as placas de aviso fixadas nas áreas — destacou. 

De acordo com a Vigilância, a interdição do parque será somente aos freqüentadores; os servidores continuarão trabalhando no local, porque os carrapatos foram encontrados dentro da mata. 

Foram 24 casos de febre maculosa notificados no ano passado na cidade. Destes, seis foram confirmados; e três mortes foram registradas, de acordo com os dados da Semusa.

Comentários
×