Parabéns

 

Galileu merece ser aplaudido pela difícil decisão de demitir apadrinhados e estagiários e assim equilibrar as contas.   Lamento muito para os que receberam a notícia da demissão, pois de novembro a março não é fácil ser reinserido no mercado de trabalho, a não ser para empregos temporários face às vendas de fim de ano e de volta às aulas.  Claro que há dois tipos de demitidos: aquele que terá que procurar emprego e com isso engrossará as filas do Sine e agências de recolocação profissional e o outro é o que vive na cauda de algum cometa, estando garantido face às eleições gerais. Isso é normal para quem tem algum peso dentro de algum partido político, seja por si mesmo ou pela relação com os caciques.

Sucesso

Finalmente Galileu está acordando para a gravidade de inchar a máquina administrativa. Há ideia de uma reforma em 2019.  Que não seja para aumentar salário ou poder de quem quer que seja, mas sim extinguir secretarias e demitir assessores desnecessários e que faça melhor uso do conhecimento dos concursados.  Seus comissionados têm que entender que não tem como fazer gracinha nesses tempos bicudos. Esses agraciados devem ser os primeiros a colocar seus cargos à disposição e trazer sugestões de enxugar a folha e assim equilibrar as contas. Afinal, se são privilegiados em contar com a confiança do prefeito, devem responder isso com lealdade e desejar que Galileu seja bem sucedido e trabalhar para isso. Não podem olhar somente para si. Que realmente tenham espírito de solidariedade ao prefeito. Que realmente apoiem Galileu. Está na hora de demonstrar gratidão. Sucesso Galileu!

Lamentável

Há rumores de que os alunos da rede pública municipal podem ter o ano letivo comprometido face ao atraso de pagamento dos salários dos professores. Na torcida para que Galileu consiga colocar os salários em dia e assim, não comprometer o ano letivo. Força Galileu!

Sugestão

Temos que pensar positivo!  Nomes podem determinar o sucesso ou o fracasso de uma empreitada. Por isso, nada de “Gabinete da Crise”! Sugiro “Gabinete de Soluções” e que os que o compõem estejam abertos a aceitar ideias dos cidadãos. Tornar esse gabinete participativo é um grande passo. Temos ótimos gestores na cidade que poderiam colaborar. Afinal, já disse John Kennedy “Perguntar não o que seu país pode fazer por você e sim o que você pode fazer pelo seu país”.

Positividade

Várias empresas nacionais e estrangeiras, de médio e grande porte, anunciaram altos investimentos em 2019.  Divinópolis precisa entrar na lista das cidades que receberão tais investimentos. Por isso vender a imagem de que aqui vale a pena investir é dever de todos nós. Chega de imagem negativa da cidade do Divino! O efeito é bumerangue e com reforço, ou seja, nos nocauteia. Positividade já!

Eleições OAB

O próximo sábado 24, ocorrerão as eleições da OAB/MG para a composição da diretoria secional, conselheiros secionais e federais.   Os conselheiros não recebem pelo mandato. É gratuito, constituindo serviço relevante. As eleições da OAB ocorrem na segunda quinzena do mês de novembro no ano do último mandato que é trienal. Desta forma, as eleições não ocorrem no mesmo dia em todos os estados da federação. Na OAB, as chapas são chamadas de “completas”. Não são admitidas candidaturas isoladas ou individuais. A chapa deve contemplar todos os cargos: diretoria (presidente, vice, secretário geral, secretário geral adjunto e tesoureiro), conselheiros seccionais, conselheiros federais e diretoria da Caixa de Assistência aos advogados. Em Divinópolis, concorrem as chapas ‘Renovação Já’ que tem como presidente o advogado Manoel Brandão e a chapa ‘Somos OAB’ que tem como presidente o advogado Carlos Alberto Faustino que tenta a reeleição.

 Pode isso?

Interessante é a eleição da Diretora do Conselho Federal. O presidente do Conselho Federal não é indicado nas chapas. Neste caso, a votação é indireta. São os conselheiros federais que votam para presidente. Os conselheiros federais elegem a diretoria do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil. Os advogados “comuns” só votam para o Conselho Seccional e Subseção. Embora a lei diga que não existe hierarquia nem subordinação entre advogados, magistrados e membros do Ministério Público, existe um hierarquia interna que nos impede votar presidente nacional.  Sim, ainda existe eleição indireta no Brasil e logo na OAB! É ou não é o país da piada pronta?

Comentários
×