Para evitar um desastre maior

Batendo Bola 

José Carlos de Oliveira

 jcqueroviver@hotmail.com.br

 

Mais que vencer a La U na noite de hoje e ainda sonhar com uma vaga para a próxima fase da Copa Libertadores 2018, Mano Menezes e os jogadores do Cruzeiro têm uma enorme missão e responsabilidade para este restante de semestre: evitar que o time caia celeste no torneio continental ainda na primeira fase, algo que nunca aconteceu com o clube estrelado.

 Depende apenas dele 

E para o Cruzeiro evitar um desastre maior, a solução está é nele mesmo, basta o time mostrar um bom futebol. E nem é preciso de algo extraordinário, nada de ser o melhor do mundo, não, basta mostrar aquilo que sabe e pode, que fará o dever de casa e vencerá os jogos que ainda lhe restam nesta primeira fase e se classificará, até com certa tranquilidade, para a sequência da Libertadores.

Mas para isto o time terá que mostrar realmente um bom futebol, algo que não vem acontecendo nas últimas partidas.

 Nada de terra arrasada

 Mas a situação não é assim tão negra como muitos pintam, não. Até pelo contrário. É certo que a Raposa caiu muito de rendimento nos últimos jogos, mas possui elenco e time para mudar esta história. Ninguém desaprende de jogar de um dia para outro, e este time atual do Cruzeiro tem, sim, futebol para escrever uma nova história.

Basta que comissão técnica e jogadores estejam realmente empenhados em fazer o seu melhor.

 MANGUEIRAS BRASIL 

A festa da torcida do Guarani 

 

No duelo de sábado contra o Uberaba Sport, quando o Guarani assegurou de vez sua volta à elite do futebol mineiro, o time alvirrubro sentiu um pouco a pressão e não fez uma boa exibição. A bem da verdade, o rendimento do Bugre no fim de semana esteve bem abaixo do que ele pode mostrar.

Mas tudo dentro de uma normalidade. A pressão pelo resultado e a ansiedade pela classificação iminente mexeram com o emocional dos jogadores, e as circunstâncias da partida fizeram o resto. Ainda bem que, no final, tudo deu certo e o Guarani é novamente da elite.

 Ponto alto 

Mas se a classificação hoje já está assegurada e o jogo de sábado faz parte da história do Guarani, um capítulo em tudo que aconteceu no Farião no final de semana não pode nem deve cair no esquecimento. Tem é de ser lembrado, relembrado e contado em verso e prosa para todo o sempre.

E o fato em questão se refere ao comportamento da torcida do Guarani. O torcedor atendeu ao chamado, entendeu as dificuldades do clube e foi o maior responsável por toda brilhante campanha do alvirrubro no Módulo II.

Presente em todos os jogos que o Bugre fez em casa, o torcedor deu a prova de seu amor pelo clube no duelo de sábado, quando carregou o time nos braços e foi, sim, o verdadeiro dono da festa que tomou conta do campo ao apito final do árbitro Ricardo Marques.

E isto é algo que não pode nunca ser esquecido. O torcedor tem de ter sempre em mente que com seu apoio o Guarani é bem mais forte, é imbatível em sua casa.

 Cereja do Bolo 

O Guarani já está no Módulo I do Campeonato Mineiro na próxima temporada, mas o ano de 2018 ainda não terminou, restam mais dois jogos para o time no Módulo II e a “cereja do bolo”, a taça de campeão, está bem perto de Divinópolis.

Nos duelos contra o Tupynambás, o Guarani joga por dois empates ou uma vitória e derrota pela mesma diferença de gols. A primeira partida será neste domingo, às 11h, em Juiz de Fora, e a segunda e decisiva, no Farião, no sábado seguinte, dia 5, às 15h.

Sem a pressão pelos resultados, a luta pela classificação será a vez de os jogadores e comissão técnica presentearem a eles mesmos (e por tabela, à torcida) com a taça de campeão.

E este grupo de profissionais que levou o Guarani ao seu lugar de direito, à elite do futebol das Minas Gerais, bem que merece ter algo mais a festejar. Então que chegue logo o dia 5, para que, todos juntos, possamos festejar o título de campeões estaduais de 2018.

Comentários
×