Pai de santo acusado de estupros é solto

Homem é diabético e agora cumpre prisão domiciliar; outras mulheres se encorajaram e afirmam ter sido vítimas

Bruno Bueno

O Agora trouxe, no começo de março, um caso que deixou os divinopolitanos perplexos. No dia 8 daquele mês, um homem de 53 anos foi preso suspeito de estupros. Segundo informações da Polícia Civil (PC), o pai de santo, morador do bairro Floresta, teria cometido os crimes contra pelo menos cinco vítimas, entre 28 e 56 anos. Além disso, ele foi indiciado por ser acusado de praticar aborto sem consentimento em uma das vítimas e, em outro caso, transmitido uma IST para outra que, à época, era adolescente. 

Segundo informações obtidas com exclusividade pela reportagem, o homem teria ficado preso cerca de dois meses, sendo solto na semana passada. Conforme alegações da Justiça, o pai de santo tem diabetes e, por isso, precisou ser transferido para prisão domiciliar. Contudo, ele pode ter abusado sexualmente de outras vítimas, que não denunciaram anteriormente, pois teriam sido ameaçadas pelo homem. 

É o caso de F.G.R. A artesã, de 51 anos, revelou ontem com exclusividade ao Agora ter sido vítima dos abusos antes da prisão do pai de santo. 

Primeira vez

A vítima contou como foi a primeira vez que conheceu o homem.

 — Pessoas desconhecidas me indicaram para ir no pai de santo. Na primeira vez, eu fui junto com a minha filha e percebi que nenhum acompanhante poderia presenciar as sessões. Na segunda vez, porém, ele conversou frente a frente comigo, inclusive me perguntando o que eu achava de estupro — disse.

A mulher também detalhou quando os primeiros abusos começaram. Segundo o relato, a vítima não tinha capacidade de questionar o motivo dos atos, já que era ameaçada a todo instante.

— Na terceira vez, eu fui convidada para entrar novamente e ele me convenceu a fazer a sessão. Primeiro, ficou em pé e encostou seu corpo no meu. Depois disso, começou a passar a mão em mim, me acariciando. De repente, enfiou a mão dentro da minha calcinha e começou a mexer. Ele também pegou a minha mão e colocou nas partes íntimas dele. Eu comecei a ficar sem chão. Não questionei por que ele estava fazendo isso, já que a todo momento recebia ameaças. Por eu me esquivar, ele não consumiu o ato sexual — ressaltou.

Filha

Ainda segundo a vítima, sua filha, que também frequentava o espaço, contou que já havia sofrido alguns abusos semelhantes, mas pensava que isso era normal para uma consulta dessas.

— Depois disso eu não tive coragem de voltar. Todo sábado à tarde ‒ dia que ele atende ‒  já era rotina da nossa família buscar a cura com o pai de santo. Meu marido e minha filha me questionaram por que eu não tinha ido da última vez, foi quando eu contei pra eles. Neste momento, minha filha disse que já havia sofrido dos mesmos atos  — revelou.

Denúncia

Depois do relato da filha, a mulher procurou a delegacia para prestar queixa contra o homem. Contudo, ela decidiu não seguir adiante com a denúncia, já que estava com medo de expor seus dados e ser ameaçada.

— Eu fui à delegacia, mas me disseram que, para eu fazer a denúncia contra ele, era necessário que eu ficasse frente a frente com ele, para reconhecer. Neste momento, eu questionei que estava fazendo a denúncia para abrir uma investigação. Não sei se outras vítimas já procuraram a polícia, mas acho que não. Mesmo ligando no 181, eles queriam que eu fornecesse o meu CPF, endereço e outros dados — salientou.

A vítima também destaca que, por ter ciência da prisão do homem em março, teve coragem para retomar a denúncia.

— Aconteceu bem antes de ele ser preso. A gente ia para ser benzido, para receber a cura. Por não querer expor meus dados, acabei deixando isso para lá. Agora que eu descobri que ele foi preso, resolvi voltar com essa denúncia. Eu não soube em março, somente semana passada, quando ele já havia saído da prisão — explicou.

Ameaças

A artesã também disse que tem medo de receber ameaças do pai de santo, que, segundo ela, é pior do que o João de Deus, ex-médium condenado a mais de 60 anos de prisão por crimes sexuais.

— Eu tenho medo de receber ameaças, ou ele fazer alguma coisa. Ele é pior do que o João de Deus. Não tenho muitas informações sobre ele, mas sei que está em prisão domiciliar, porque tem diabetes. Na cadeia, eles têm que fornecer o remédio, ele tem que pagar por isso — alegou.

Por fim, a mulher ressaltou que espera a prisão do homem com urgência. Ela ainda mandou um recado para quem busca esse tipo de ajuda espiritual.

— O que eu mais quero é que ele seja preso e fique na cadeia. Esse pai de santo fez muita coisa errada, tem que pagar pelo que fez. Deixo um recado para quem pensa em ir procurar ajuda com ele: não façam isso! Se alguém tivesse me alertado, eu jamais teria ido. Eu aconselho as pessoas que procurem saber primeiro quem é, se o profissional é realmente do bem — completou.

Polícia Civil 

Sobre os fatos, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) representou pela prisão preventiva do líder espiritual, após a conclusão do inquérito. Ele foi preso em março deste ano. Ao todo, segundo a PC, três procedimentos foram concluídos e remetidos à Justiça, com indiciamento do investigado pelos crimes de estupro e aborto. Além disso, a Polícia Civil revela que há um quarto inquérito em andamento que apura a paternidade do filho de uma das vítimas, o qual supostamente seria do investigado.

Acerca dessa outra vítima que procurou a reportagem, a PC orienta que ela compareça à delegacia com seus dados pessoais para fazer a representação contra o acusado.

Foto / Divulgação/PC

Legenda / Homem foi solto na última semana

Comentários
×