Pagou ou não?

Preto no Branco 

A ida do vereador Carlos Eduardo Magalhães (Patriota) a Brasília na semana passada deu o que falar nas redes sociais. Mas não foi o recurso no valor de R$ 1,8 milhão garantido pelo Ministério do Turismo para investimento no Lago das Roseiras que dominou as discussões. O bate-boca se deu pelo fato de a Câmara ter pago a diária de hotel no valor de R$ 745,10 para o vereador na capital federal. Quando o bicho pegou, Carlos Eduardo Magalhães afirmou que pagou do seu bolso, porém, uma publicação assinada pelo presidente, Rodrigo Kaboja (PSD), diz outra coisa. Se pagou, não há nada de absurdo, visto que o vereador foi trabalhar. O que é feio é ficar esse “disse me disse”, sem que o povo saiba a verdade.

A ida 

Não foi a primeira vez que Carlos Eduardo Magalhães foi a Brasília para tratar do assunto. Antes da reunião para a consolidação do dinheiro, que teve a participação também do deputado Cleitinho Azevedo (CDN), o vereador mais dois empresários já tinham se encontrado com o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, em busca de ajuda para alavancar o turismo no Lago das Roseiras. Foi e conseguiu seu objetivo. Fez sua obrigação como representante do povo e, se a Câmara tiver pago, não há do que reclamar. Quem dera se toda vez que a Casa gastasse um valor  semelhante com vereador fora viessem quase R$ 2 milhões para  Divinópolis.  

Virou bagunça 

Não é de hoje que, nesta legislatura, assuntos que deveriam ser tratados nos gabinetes, que seja na Câmara ou na Prefeitura, vão diretamente para a mídia. Ou melhor, para as redes sociais. Falta senso de todos os lados, sobra vaidade. Não é à toa que a situação política da cidade é lastimável. As redes sociais foram as melhores invenções que surgiram nos últimos anos para os políticos, porém, infelizmente, para o lado negativo. Divinópolis é um retrato disso. Situações escancaradas todos os dias por políticos atuais mostram esta realidade e comprovam que o ego consegue ser mais importante do que as necessidades da população.

Cidade perde 

Divinópolis já foi um dos mais importantes municípios de Minas Gerais. No entanto, ficou no passado. Atualmente, cidades menores se encontram bem melhor em todos os sentidos, inclusive o econômico. E o resultado negativo não se deve somente às dificuldades financeiras e ao abandono dos últimos governos do Estado, mas principalmente à falta de união política. Agindo no: “cada um por si e Deus por todos”, os nossos políticos conseguiram afundar a cidade nos últimos anos fazendo com que a Princesa do Oeste e seu povo padeçam e percam sua importância no estado. Lamentável.

Fraudulentos na mira

O Governo Federal prorrogou por mais dois meses o auxílio emergencial. Boa notícia? Sim. Mas não significa que está tudo bem. Estaria se não fossem os oportunistas, para não dizer criminosos, que não param de agir, prejudicando os mais necessitados. Eles falsificam dados, se fazem passar por outras pessoas e acabam recebendo o benefício sem nenhuma necessidade, tirando da boca de quem sequer consegue fazer o cadastro. Porém, se depender da Polícia Federal (PF) e do Ministério Público (MP), esses falsários estão com os dias contados. As duas instituições trabalharão juntas para puni-los. Espera-se, com esta ação, identificar e prender muitos que recebem o recurso de forma indevida. Os menos favorecidos, sempre os mais prejudicados, agradecem!

Lista inteira 

E, por falar em fraudes, a Justiça Eleitoral quer agir com mais rigidez com partidos que fraudam candidaturas femininas para cumprir a determinação de que 30% dos concorrentes a vagas no Legislativo sejam mulheres. As eleições, que neste ano especialmente ocorrem em novembro, serão as primeiras em que estará em vigor uma resolução que permite ao juiz anular uma lista inteira de candidatos a vereador antes da votação, caso a irregularidade seja constatada. Para evitar que isso ocorra, partidos terão que apresentar autorização por escrito de todas candidatas, o que não vinha ocorrendo desde que o registro foi informatizado. Finalmente, parece que a norma será obedecida. Eu só acredito vendo! Por enquanto fica a torcida. 

 

Comentários
×