Outra CPI?

Outra CPI?

 

Está faltando “desconfiômetro” e sobrando oportunismo político nestes diversos pedidos de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) por parte de vereadores de Divinópolis. Falta de percepção porque os edis oposicionistas não tiveram a sensibilidade de captar que a população não quer a cassação do prefeito Galileu Machado (MDB). E esta percepção qualquer assessoria parlamentar mais atenta constataria ao ver o número de interessados acompanhando os pedidos anteriores de impeachment do alcaide, seja pela Net Câmara, seja pela TV Câmara ou mesmo pelos presentes no plenário da Câmara Municipal: uns gatos pingados.

 

Chega de CPI’s inúteis!

 

Para entender por que a insistência da oposição de instaurar CPI contra o prefeito Galileu Machado, basta assistir a uma reunião ordinária da Câmara: oponentes não têm uma pauta sequer que encante e seduza o eleitor. E sem uma pauta que lhes garanta reeleição em 2020, alguns edis se iludem, acreditando que os eleitores querem ver o prefeito fora do poder. Não querem! Os eleitores, em sua maioria, já entenderam que Galileu foi vítima da incompetência política, administrativa e partidária do governador Fernando Pimentel (PT), que segurou nos cofres do Estado milhões de reais a que a Prefeitura tem direito e que permitiriam ao prefeito tocar diversas obras na cidade. E também sabe que, apesar dos esforços, o atual governador Romeu Zema (Novo) não conseguiu liberar os valores retidos da Prefeitura no volume desejado. Irá devolver o crédito do município em suaves prestações.

 

Agora é tarde!

 

Este novo pedido de CPI que o vereador Edsom Sousa (MDB), desafeto do prefeito, propôs não passa de um tiro no pé. Pretender o impeachment do prefeito Galileu Machado logo agora que ele terá nas mãos R$ 62 milhões para fazer a pavimentação de vias nos bairros Terra Azul, Costa Azul, Grajaú e São Simão? Pedir a cassação do prefeito quando ele está prestes a construir o complexo rodoviário que inclui a uma ponte sobre o rio Itapecerica, ligando os bairros Maria Peçanha ao Realengo? Pedir cassação do prefeito Galileu Machado quando ele tem a confirmação da liberação da construção de 24 apartamentos para os moradores do Alto São Vicente? Ora, este novo pedido de impeachment do prefeito Galileu não tem a menor consistência. Não só revela uma perda de tempo como principalmente significa um gasto injustificável do minguado dinheiro público.

 

Bezito: caráter!

 

Na coluna do dia 11 de outubro, sob o título de “Bezito volta”, escrevi que o ex-secretário do Meio Ambiente foi exonerado, atendendo a recomendação da Promotoria de Justiça, por meio do seu representante, Leandro Will, sob o argumento de existir “farta documentação” mostrando práticas abusivas e contrárias à legislação ambiental.

Isso é meia verdade. O que ocorreu é que Bezito poderia ser afastado do cargo até a conclusão das investigações e continuar recebendo seu salário. Mas o ex-secretário entendeu que não era ética esta conduta e pediu ao prefeito que o exonerasse. Agora Bezito foi inocentado de todas as acusações, e, por isso, amantes, defensores do Meio Ambiente e do desenvolvimento sustentável pedem seu retorno à secretaria. Com a palavra, Galileu!

 

Transoeste: novidades para os usuários

 

A Transoeste, empresa responsável pelo transporte coletivo de Divinópolis, investiu mais de R$ 1 milhão para trazer, junto com a bilhetagem eletrônica, outras tecnologias embarcadas, como o GPS, o que irá permitir ao usuário do transporte coletivo de Divinópolis acompanhar em tempo real a linha de ônibus a qual ele usa. Assim, o usuário saberá onde o ônibus está e quando vai chegar ao ponto através do app Falebus. Este procedimento está em fase de testes, mas deve ser instalado em todos os veículos em até 30 dias.

Comentários
×