Os quatro cavaleiros

João Carlos Ramos

João Carlos Ramos

Os quatro cavaleiros

 

O livro de Apocalipse é cheio de mistérios, mas, nessa era, cognominada ERA DE LAODICEIA, foi predito que todos os mistérios seriam revelados e um grupo seleto e seus olhos se abririam na hora da meia-noite.

Apocalipse 10:7 diz: "Mas, no dia da voz do sétimo anjo, quando tocar a sua trombeta, cumprirá o segredo de Deus, como anunciou a seus servos, os profetas". Sabemos que se trata de um anjo terreal, que é um mensageiro humano, que revelaria os segredos do Apocalipse que houvera sido revelado ao Apóstolo João, na ilha de  Patmos, através de símbolos místicos. Dentre os símbolos, encontramos o mistério dos quatro cavaleiros. Muitos teólogos, ao longo dos anos, têm tentado inútilmente interpretar os mistérios do livro. Adventistas do 7º  Dia, testemunhas de Jeová, mórmons e várias denominações erraram o alvo. Somente um profeta, neste último tempo, poderia interpretar todo o livro. Daniel houvera interpretado o sonho do rei Nabucodonosor. José houvera interpretado o sonho de Faraó. Assim, fica provado que Deus fala em enigmas e somente ele pode interpretá-los. Os quatro cavaleiros têm inquietado a muitas pessoas e opinamos conscientemente sobre os referidos. Nesse texto, fixamos os olhos no cavalo amarelo: 

"...E olhei e eis um cavalo amarelo e o que estava assentado sobre ele, tinha por nome Morte e o inferno o seguia; e foi-lhes dado o poder para matar a quarta parte da terra, com espada, com fome e com peste e com as feras da terra - Apoc. 6:8". 

A cor amarela é a cor da morte e assim sendo esse cavalo cavalgaria nessa era com morte espiritual, através da RELIGIÃO. A religião organizada é um instrumento político, condutor da semente original, e o restante será destinado ao lixo. Existem mais de dez mil religiões no mundo atual e todas elas com sua própria interpretação do sagrado. Inevitavelmente, as marcas da besta são originadas pelos espíritos religiosos e não são marcas físicas ou virtuais, como creem alguns. A crença errada mata espiritualmente porque conduz à falsa adoração. O cavalo amarelo está dentro das igrejas, matando com interpretações. Logo, o que se segue é o inferno, pois lhes foi dado o poder de matar com espada, fome, peste e feras da terra. Matam falando. A fome é literal, pois, através da peste, ela surge de forma devastadora. A espada sempre é palavra e nunca vimos tantas palavras mortais como agora, proferidas por aventureiros. Sabemos que as feras, as duas feras do Apocalipse que exigem o sinal na testa e na mão dos habitantes da terra. Sou categórico em afirmar que a marca da besta na testa é uma doutrina-mãe na mente, e a marca da besta na mão direita significa companheirismo religioso em harmonia com o dragão expulso do céu pelo arcanjo Miguel. Tudo vai se culminar com a batalha do Armagedom, quando literalmente Miguel e Lúcifer se encontrarão para outra batalha.

Miguel novamente vencerá, pois seu significado é; "Aquele que é como Deus". A história do futuro está escrita e não se enganem, a nação que se levantará nos últimos tempos para destruir o trono da besta é a Rússia, e não a China como creem alguns. Abrindo um parênteses, afirmo que a China, segundo a história, foi a primeira civilização e, por isso, surge em evidência com toda sua estratégia econômica e prosperará sempre, mas nunca chegará ao topo, pois a besta que sobe da terra é a primeira potência mundial, os Estados Unidos. As duas bestas de Apocalipse 13 se referem às potências da política e da religião. Ambas estão casadas e irão entrelaçadas para o fogo da purificação eterna. Não julgue a nada e a ninguém, pois a história do futuro está escrita, dentre as linhas do predeterminismo que guia os fatos. Que Deus ilumine a todos que podem ver!

jocarramos@gmail.com

Comentários
×