Origem da expressão "olha o passarinho"

Elmo Fernandes e Professor Carlinhos 

Hoje, tirar uma foto é muito fácil e leva apenas um milésimo de segundo, mas não costumava ser assim. Há mais de um século, quando essa arte surgiu, os equipamentos levavam alguns minutos para fixar a imagem nos filmes. Assim, as pessoas precisavam ficar paradas durante esse tempo e a dificuldade era ainda maior quando havia crianças na pose. Para chamar a atenção delas e mantê-las olhando em direção à câmera, os fotógrafos colocavam uma gaiola com passarinhos ao lado da máquina e diziam: “Olha o passarinho!”. A expressão se popularizou e ainda é usada para chamar a atenção das pessoas na hora de tirar a foto.

CURIOSIDADES

ORIGEM DAS FESTAS JUNINAS

Os historiadores apontam que as origens da festa junina estão diretamente relacionadas a festividades pagãs realizadas na Europa na passagem da primavera para o verão, momento chamado de solstício de verão. Essas festas eram realizadas como forma de afastar os maus espíritos e qualquer praga que pudesse atingir a colheita. Para melhor entendermos isso, é preciso considerar que o solstício de verão no hemisfério norte acontece exatamente no mês de junho.

As comemorações realizadas por diferentes povos pagãos europeus começaram a ser cristianizadas a partir do momento em que o Cristianismo se consolidou como a principal região do continente europeu. Assim, a festa originalmente pagã foi incorporada ao calendário festivo do catolicismo.

Essa foi uma prática comum da Igreja Católica. Para facilitar a conversão dos diferentes povos pagãos, fazia-se uma aculturação das festividades, adicionando-as ao calendário católico e acrescentando nelas elementos cristãos. Outra festa na qual essa prática se repetiu, por exemplo, foi a comemoração do Natal, que acontece todo mês de dezembro.

A cristianização da festa está diretamente relacionada ao estabelecimento de comemorações de importantes figuras do catolicismo, exatamente na época da passagem para o verão, entre as quais se destacam Santo Antônio (homenageado dia 13 de junho), São João (dia 24) e São Pedro (dia 29). Por fim, muitos elementos típicos das comemorações pagãs ganharam novo significado.

 

REFLEXÃO DA SEMANA
“Permita-se sentir! Inclusive suas dores. É que, nos bastidores, nem tudo são flores. ”
(Autora: Raphaella Ribeiro)

REFLEXÃO BÍBLICA
“Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?
Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas?
Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica.
Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós.” (Romanos 8:31-34)

RIA... POR FAVOR!!!
Ontem, minha mãe e eu estávamos sentados na sala, falando das muitas coisas da vida.
Falávamos de viver e morrer. Então, eu lhe disse:
― Nunca me deixe viver em estado vegetativo, mãe, dependendo somente de máquinas e líquidos. Se você me encontrar nesse estado um dia, desligue tudo o que estiver me mantendo vivo, por favor!
Ela se levantou, desligou a televisão, o wi-fi, o ar-condicionado e jogou minha cerveja fora.
Pensa numa velha ruim...

PÉROLAS DE MINAS...
Diálogo entre o gaúcho e o mineiro...
O gaúcho disse ao mineiro:
― Bá tchê, nasci em Pelotas, e tu?
O mineiro respondeu:
― Uai... Eu nasci interin, duma veis só.

MÁXIMAS DO PROFESSOR CARLINHOS

  • Alguns programas televisivos estão no momento tão ruins que, para entrar na categoria de PÉSSIMOS, ainda terão de melhorar muito.
  • Coisa feia, abominável e muito em moda é a famigerada INCONTINÊNCIA VERBAL. O silêncio é muito mais apreciável e válido!
  • LÓGICA INFANTIL
    Papo entre Pedrinho (5 anos) e Fredinho (6 anos):
    Pedrinho: Fredinho, eu acho que esse negócio de mandar todo mundo ficar quieto em casa com a família é muito legal para acabar com o tal coronavírus.
    Fredinho: “Ocê” acha também? Por quê?
    Pedrinho: É o que se todo mundo ficar escondido dentro de casa, o coronavírus não vem pra atacar a gente e se ele não encontrar ninguém nas firmas, nos colégios, nas igrejas, nos escritórios, nas lojas, aí ele vai embora.
    Fredinho: É mesmo, sô! “Taméin” acho!
Comentários
×