Operário da indústria do Centro-Oeste de Minas trabalha mais

 

Pablo Santos 

O operário da indústria do Centro-Oeste trabalha mais. Números da pesquisa mensal da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg) revelam acréscimo nas horas trabalhadas em todas as comparações. O emprego manteve a estabilidade e o faturamento caiu em novembro frente a outubro, de acordo com os números apresentados.

As horas trabalhadas na indústria regional é o único indicador com desempenho positivo em todos os cenários analisados. No acumulado de janeiro a novembro, dado mais recente, as horas tiveram acréscimo de 0,7% e, nos últimos 12 meses, avançou 1%. Em novembro do ano passado na comparação com o mesmo período de 2016, a alta foi de 0,7%. Em outro paralelo, outubro com novembro, o aumento foi de 0,3%.

Em outro indicador analisado, o emprego apresentou números positivos e negativos. No acumulado do ano, janeiro a novembro de 2017, o emprego fechou com alta de 1,6% e, em 12 meses, 1,5%. Em contrapartida, em novembro do ano passado contra o mesmo mês de 2016, o resultado foi negativo de 1,8% para o emprego. Na passagem de outubro para novembro de 2017, o percentual ficou perto da instabilidade com queda de 0,1%.

– Da mesma forma, o emprego e as horas trabalhadas na produção apresentaram variações positivas no acumulado do ano até novembro, ao passo que a massa salarial segue em queda – afirmou o relatório mensal da Fiemg.

Faturamento 

De acordo com a pesquisa da Fiemg, o faturamento das indústrias regionais despencou em novembro de 2017 quando se compara com o mesmo período de 2016. A queda foi de 15,5% e, de outubro para novembro, o declínio chegou a 4,1%.

– Em novembro, o faturamento real na indústria da Região Centro-Oeste recuou, frente a outubro, em razão do decréscimo nas exportações – apontou a pesquisa.

Apesar dos números negativos, no geral o faturamento está em alta nas indústrias regionais. No acumulado do ano, as vendas cresceram 5,1% e, nos últimos 12 meses, avançaram 6,6%, apontou a Fiemg.

– Entre janeiro e novembro de 2017, o faturamento cresceu comparativamente ao mesmo período de 2016, devido ao aumento das vendas para os mercados interno e externo. Vale ressaltar que a elevação do indicador perdeu intensidade ao incorporar o resultado novembro de novembro – destacou a pesquisa.

 

 

Comentários
×