ONG de animais depende de doações

Da Redação

Criada há mais de 20 anos, a Sociedade Protetora dos Animais de Divinópolis (Spad) cuida e serve de abrigo para animais abandonados, negligenciados e vítimas de maus tratos. O projeto foi criado em 1996, por um grupo de voluntários da cidade.

Para se manter, não basta apenas acolher o animal, mas ter condições de cuidar dele.  É preciso de condições minimamente boas para sua sobrevivência. Para ofertar isso, além de uma vida saudável, a Spad não abriga mais animais do que suas limitações permitem. Hoje o abrigo consegue acolher e cuidar de 40 bichinhos.

A presidente da Spad, Josiane Barreto de Assunção, ressaltou a importância da participação popular para a continuidade do projeto.

— Precisamos muito da ajuda da população porque, apesar de todos esses anos da ONG, a gente não recebe amparo governamental. Sobrevivemos das doações da população. Precisamos da ajuda de todos que puderem doar. Nossa despesa não é baixa, porque temos os custos fixos para manter o espaço físico do abrigo. E temos também as despesas dos cães que nós resgatamos — explicou.

Segundo a ONG, o custo médio para manter os animais saudáveis varia entre R$ 100 a R$ 180, mensalmente. Proteger os animais é uma tarefa que vai além do acolhimento, pois demanda alimentação, cuidados higiênicos e, claro, carinho.

Solidariedade

As organizações da sociedade atuam numa brecha deixada pelo governo. Os animais de rua ficam em condições vulneráveis, sem comida, doentes e sem carinho. Mesmo aqueles que possuem um lar, por vezes são maltratados e criados em péssimas condições.

— É uma questão de saúde pública. Os animais são seres-vivos e precisam ser respeitados. Quem dera se a gente tivesse em nossa cidade uma política pública com respeito à eles. Então, o que as ONG’s na cidade fazem é isso: acolher, dar amor, carinho, cuidar e colocar para adoção — declarou.

Lares temporários

O abrigo também recebe a ajuda de pessoas dispostas a contribuir acolhendo temporariamente os bichanos.

— Precisamos muito dos lares temporários. Então, quem pode dar um cantinho, para um animal resgatado por nós, é de suma importância — destacou.

Esses lares temporários são fundamentais para o cuidado primário com o animal. Antes de ser levado para o abrigo da Spad, o cão precisa ser levado ao veterinário e tratado. A entrada no canil só acontece quando o mesmo estiver saudável. A medida é necessária para prevenir e resguardar a saúde dos outros animais já acolhidos. 

Projeto escolar

A ONG passou a atuar também no ambiente escolar, buscando desde cedo, conscientizar as crianças e os jovens a respeito do cuidado com os animais.

— Nós vamos às escolas para fazer o trabalho educacional. A gente acredita que só vamos conseguir melhorar a vida dos animais de rua se houver educação e castração — relatou a presidente do SPAD.

A partir de 2019, a instituição iniciará o processo de distribuição de cartilhas de conscientização, continuando as atividades dentro do ambiente escolar.

Como contribuir?

As doações podem ser feitas durante todo ano através do site (http://spadcao.com.br/doe.html). Além das doações em dinheiro, no site você confere uma lista de produtos (ração, coleiras, materiais de limpeza e medicamentos) que podem ser doados.

Quem quiser doar pode fazer depósito via conta bancária (Agência: 0113 - Op.: 03 - C/c: 330-0), para a Sociedade Protetora dos Animais de Divinópolis. Outra forma de contribuir é através de uma caixinha disponível nos seguintes estabelecimentos: Casinha de Cachorro, Bem Brasileira, Point Dog, Armazém, Feito para Cães e Gatos, Casa Edson, Quincas Café Bistrô, Casa Camargos, Center Pet e as clínicas São José e Center Vet.

Adoção e voluntariado

No Facebook facebook.com/spad.divinopolis/ a Spad compartilha as imagens dos animais recolhidos e os telefones a serem contatados para doação.

Quem estiver interessado, pode também entrar em contato pelo spadcao.com.br/index.html#contato e enviar uma mensagem se disponibilizando a ser voluntário na ONG.

Comentários
×