Onda vermelha entra em vigor amanhã

Após mais de um mês na onda roxa, macrorregião Oeste progrediu por decisão do Estado; Prefeitura divulga novo decreto hoje

Bruno Bueno

A temida onda roxa, fase mais restritiva do programa Minas Consciente, terminou, pelo menos por enquanto, em Divinópolis. Conforme decisão do Estado, após reunião do Comitê Extraordinário de Enfrentamento à Covid-19 na manhã de ontem, a macrorregião Oeste, que comporta 54 municípios, avançou para a onda vermelha, fase ainda restritiva, mas que permite o funcionamento do comércio não essencial.

Conforme a decisão, serviços como autoescolas, academias, bares, restaurantes, salões de beleza e outras atividades estão liberadas para funcionar a partir deste sábado, 24. 

O governador Romeu Zema (Novo) se manifestou após a reunião e pediu compreensão dos mineiros.

— Temos que analisar os resultados técnicos. Entendemos que podemos avançar para a onda vermelha em quase todo o estado, mas é fundamental compreender que a pandemia continua, que todos os cuidados como uso de máscara e higienização das mãos são necessários, e que só a vacinação é a solução definitiva — destacou.

Outras regiões

O Comitê ainda confirmou o avanço das macrorregiões Centro, Centro-Sul, Leste, Leste do Sul, Oeste e Vale do Aço. Sendo assim, apenas a região Nordeste, que está com 99% de ocupação da UTI para pacientes com covid-19, permanece na onda roxa do programa Minas Consciente. Vale ressaltar que, desde o último sábado, sete das 14 macrorregiões já haviam progredido para a onda vermelha.

Nas microrregiões, nove das 89 continuam na onda roxa. Além das quatro que compõem a região Nordeste, algumas cidades da Central seguem com as medidas mais restritivas. São elas: Guanhães, Itabira, João Monlevade, Ouro Preto e Sete Lagoas.  

Onda amarela

Ainda conforme decisão do Estado, outras sete microrregiões, que já estavam em onda vermelha, avançaram para a fase amarela. São elas: Manga/Januária, Araçuaí, Diamantina, Serro, Patrocínio/Monte Carmelo e São Sebastião do Paraíso.

A onda, que é a segunda mais liberal, atrás apenas da verde, permite a presença de 100 pessoas em eventos públicos, além de autorizar 75% de ocupação total em hotéis e atrativos culturais. A distância recomendada entre pessoas diminui para 1,5 metros, assim como a capacidade por pessoa, que passa de 10m² para 4m².

Entre as cidades que avançaram para a onda amarela, se destaca o município de Monte Carmelo. Em fevereiro, a cidade precisou transferir pacientes com covid para Divinópolis após chegar a uma superlotação de leitos em seus hospitais. 

Volta às aulas

A volta às aulas no Estado também foi cogitada pelo Comitê. Nos próximos dias, o advogado-geral de Minas Gerais, Sérgio Pessoa, se reúne com representantes do Tribunal de Justiça de Minas (TJMG) para discutir a autorização para a retomada das aulas de forma gradual e por sistema híbrido de ensino.

Segundo o advogado, o Governo de Minas já apresentou protocolo das secretarias de Educação e Saúde com regras para o retorno do ensino presencial.

Prefeitura

Com a definição do Estado, a Prefeitura de Divinópolis afirmou que publicará, hoje, um decreto regulamentando a onda vermelha, além de uma nota explicativa que vai dar mais detalhes sobre as medidas restritivas em vigor. Contudo, segundo a assessoria, ainda não se sabia se o documento seria publicado hoje ou neste sábado, no Diário Oficial dos Municípios Mineiros. A cidade está, desde o último dia 14, na fase mais restritiva, completando 41 dias na onda roxa do Minas Consciente.

Gleidson, Janete e Print

Na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, local da reunião que definiu a saída de Divinópolis da onda roxa, também estiveram presentes o prefeito Gleidson Azevedo (PSC), a vice-prefeita Janete Aparecida (PSC) e o presidente da Câmara de Vereadores, Eduardo Print Júnior (PSDB).

Em vídeo divulgado nas redes sociais, os representantes políticos comemoram a decisão.

— Acabamos de sair da reunião do Minas Consciente, onde o governador Zema decretou o avanço de Divinópolis para a onda vermelha. A partir de sábado, todo comerciante poderá trabalhar — disse o prefeito.

A vice-prefeita, Janete Aparecida, tomou a fala e deu mais detalhes sobre o novo decreto que será publicado.

— Nós pedimos ao governador que já faça valer as novas medidas a partir de sábado. Na sexta publicaremos o novo decreto, juntamente da nota explicativa, com todos os detalhes e os estabelecimentos que podem funcionar. Vamos seguir em frente, para que possamos sair dessa onda vermelha e partir para a amarela — afirmou.

Eduardo Print Júnior também tomou a fala e disse que a visita até Belo Horizonte teve outro objetivo: abrir o hospital regional para a instalação de 40 a 60 novos leitos para atender pacientes com covid-19. A chegada de novas vagas vem sendo especulada desde o mês passado, quando o governador Romeu Zema afirmou que iria viabilizar recursos para concluir a obra.

— Vale ressaltar que também discutimos a abertura do hospital regional. Existe um recurso do município, estamos focados em abrir esse centro o mais rápido possível para que não precisemos voltar aqui para discutir a abertura ou o fechamento de nosso comércio. É hora de retomar a economia de nossa cidade — disse.

O deputado Domingos Sávio (PSDB), em nota nas redes sociais, também salientou a importância da abertura do hospital regional.

— Não queremos ver o comércio novamente fechado e os comerciantes sofrendo e muito menos ter pessoas morrendo por falta de vagas. Para isso, precisamos ampliar nossa capacidade de atendimento com mais leitos. O mínimo que esperamos do Estado, e que viemos por duas vezes nesta semana cobrar, é que ele cumpra a palavra de investir os R$ 3,6 milhões para a abertura de uma ala emergencial no Hospital Regional de Divinópolis — disse.

 

Comentários
×