Oito são presos para apurar tragédia em Brumadinho

Da Redação

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), com apoio das polícias Civil e Militar, cumpriu 14 mandados de busca e apreensão na manhã de hoje. Oito mandados de prisão temporária também foram expedidos. As ações foram realizadas em Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro.

Todos os presos temporariamente na ação são funcionários da Vale, proprietária da barragem na Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho. Dentre eles estão quatro gerentes (sendo dois executivos) e quatros funcionários das equipes técnicas. Segundo o MPMG, as oito pessoas serão ouvidas para apurar a responsabilidade criminal da tragédia.

— Todos são diretamente envolvidos na segurança e estabilidade da Barragem 1, rompida no dia 25 de janeiro. As prisões temporárias foram decretadas pelo prazo de 30 dias, tendo em vista fundadas razões de autoria ou participação dos investigados na prática de centenas de crimes de homicídio qualificado, considerados hediondo. Todos os presos serão ouvidos pelo MPMG, em Belo Horizonte. Também são apurados crimes ambientais e de falsidade ideológica — informou em nota.

Buscas e apreensões aconteceram também na sede da Vale, no Rio de Janeiro. Os materiais apreendidos serão encaminhados ao MPMG para análise.

 

Comentários
×