Ocupar hospital público para protegê-lo

 

O vereador Dr. Delano (MDB) está preocupado com a possibilidade de depredação do Hospital Público Regional. Por isso, como forma de protegê-lo, o médico/vereador propõe que a UBS e posto de saúde do bairro Realengo sejam transferidos para uma área do hospital. Negociações com o Governo do Estado serão iniciadas, para obter autorização para o uso do espaço pela Prefeitura Municipal

 Jardim Primavera: canteiro de obras

 Impressionou ao eleitorado o retrospecto que o vereador Kaboja (PSD) fez na reunião de quinta-feira, 29, sobre as obras que viabilizou para Santo Antônio dos Campos, bairro Jardim Primavera, Cachoeirinha.

Segundo o edil, ele conseguiu em parceria com a Copasa que fossem construídos no bairro a rede de esgoto, a drenagem pluvial e, posteriormente com apoio do deputado Jaiminho Martins, o calçamento de todas as ruas do bairro, reivindicado pelos moradores. Conseguiu também o calçamento da estrada que liga “Ermida” a comunidade de Cachoeirinha, além da construção da ponte de que a comunidade do Tamboril tanto precisava. Para completar, o edil garantiu que todas as ruas de 20 m do bairro Jardim Primavera serão asfaltadas. Cinco delas já receberam a camada asfáltica e a empresa aguarda o fim da estação das chuvas para asfaltar as quatro restantes. Depois será a vez das comunidades de Lages, Lopes, Tamboril e Cachoeirinha se transformarem em canteiros de obras. Kaboja é considerado um subprefeito pela população de Ermida e região.

 Extinção de câmaras municipais

 O advogado Caetano Net, presidente da Associação de Defesa dos Direitos da Cidadania em Rondônia (ADDC),  pretende  apresentar em fevereiro de 2018, na Comissão de Legislação Participativa Câmara dos Deputados, o anteprojeto que substitui as Câmaras Municipais, a partir do ano de 2021, para municípios com até 70 mil eleitores e no lugar fica criado e constituído o "Conselho Comunitário não Remunerado" com as mesmas atribuições e competência legislativa, tendo por composição as entidades representativas no município. Esse modelo vem sendo adotado em vários países

 UPA: uma heroína!

 A UPA “Padre Roberto” é uma das instituições públicas mais injustiçadas de Divinópolis. Explico: deveria acudir apenas aos usuários em necessidades de pronto atendimento e qualquer situação de emergência. Mas, está cumprindo papel de hospital para o qual ela não tem infraestrutura. O correto seria que os pacientes estabilizados fossem encaminhados a um hospital ou ficassem em observação por apenas 24h para receberem alta. O Estado via Central de Leitos tem sido acusado de não conseguir leitos em hospitais para atender pacientes da UPA que, por isso, ficam nos corredores da unidade. Mas isso é meia verdade.

 Central de Leitos também injustiçada

 Leitores que seguem minha coluna aqui no jornal Agora sabem que sou um crítico à ineficiência ou negligência do Estado em providenciar leitos para pacientes estabilizados da nossa UPA. Mas, como escrevi, a verdade não é bem essa. Como estou acompanhando um amigo hospitalizado, pude observar como funciona o dia a dia dos responsáveis pela central de leitos.

 Vaga em hospitais tem!

 Todos os pacientes das 54 cidades que compõem a Macrorregião de Divinópolis querem ser internados no Complexo de Saúde São João de Deus, que possui um Corpo Clínico com notória competência em diversas especialidades, garantindo para Divinópolis e região um atendimento com qualidade e excelência. Porem, para o hospital devem ser enviados, pacientes com diagnóstico de média e alta complexidade. É obvio que o hospital não comporta todas as demandas e assim os pacientes com enfermidades consideradas de baixa complexidade ou são atendidas na própria UPA, ou encaminhados para as cidades que compõem a Macrorregião. E aí é que começa o drama: na maioria das vezes, não faltam leitos; o que falta é a disposição do paciente e familiares para se deslocarem para vagas em hospitais de outras cidades. Muitos preferem ficar nos corredores da UPA sofrendo, porém, aguardando uma vaga no São João de Deus. Foi o que observei, ao acompanhar um amigo hospitalizado.

Comentários
×