Ocupação com salário maior sofre para conseguir vaga na confecção

 

Pablo Santos 

Gerente de marketing e mecânico de manutenção de máquinas têxteis são as ocupações mais bem pagas do setor confeccionista divinopolitano. Profissões com salário maior estão cortando vagas e com vencimento menor tem projeção de abertura de oportunidades. A revelação é do monitoramento do desempenho do setor do vestuário de Divinópolis realizado pelo Núcleo de Pesquisas do Vestuário (Nupev) do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais/Campus Divinópolis.

Com salário mensal de R$ 2,4 mil, o gerente de marketing é a ocupação com maior salário no setor confeccionista divinopolitano, de acordo com o Nupev. Na segunda posição está o mecânico de manutenção de máquinas têxteis com vencimento mensal de R$ 2 mil, em média.

Apesar do salário maior, os dois setores não obtiveram bons resultados ano na cidade. Os dados comprovam corte de 22 oportunidades no setor de mecânico de manutenção de máquinas têxteis. Já o gerente de marketing apenas um profissional foi contratado em 2017.

O terceiro maior vencimento do setor é o encarregado de costura na confecção do vestuário com R$ 1.755,56, em média. A ocupação fechou 11 vagas neste ano no polo confeccionista da cidade.

Já o modelista de roupas registra salário médio de R$ 1.749,90 e, de janeiro a setembro, foram criadas cinco vagas para a ocupação.

O supervisor da confecção de artefatos de tecidos, couros e afins recebe mensalmente R$ 1.650, nas empresas da cidade. A ocupação abriu somente uma oportunidade de janeiro a setembro.

Ainda de acordo com a pesquisa mensal, o desenhista técnico tem vencimento mensal de R$ 1,4 mil e, neste ano, uma cortou uma oportunidade.

Menores 

As ocupações com menores salários geraram mais vagas na cidade neste ano. O menor salarial mensal é do passador de roupas: R$ 931,91. Durante todo o ano apenas quatro vagas foram criadas nas empresas confeccionistas da cidade.

O marcador de peças confeccionadas para bordar tem salário médio de R$ 967. De acordo com o Nupev, cinco vagas foram criadas para a ocupação.

A passadeira de peças confeccionadas recebe, em média, R$ 975,16 por mês nas empresas da cidade e duas vagas foram abertas no ano.

O polo confeccionista de Divinópolis obteve o melhor resultado, com a criação de 59 empregos em agosto de 2017 entre os cinco polos de Minas Gerais. O pior resultado foi o da cidade de Juiz de Fora, que registrou dois desligamentos no mesmo período.

 

Comentários
×