Obras no quarteirão fechado da São Paulo caminham para conclusão

Da Redação

Quem passa pelo quarteirão fechado da rua São Paulo ainda se pergunta o que será feito no local. Muita gente observa    nas últimas semanas a presença massiva de outros vendedores, além de amontoados de materiais reciclados depositados no local. Desde a retirada dos ambulantes, que ocorreu em janeiro deste ano em uma megaoperação da Prefeitura e das polícias Civil e Militar, foram iniciadas as obras. 

A Prefeitura divulgou projeto arquitetônico que prevê abertura de pista com velocidade reduzida de 30 km/h  entre as avenidas 1º de Junho e Getúlio Vargas. Segundo o projeto, no entorno da pista também serão construídos canteiros suspensos. A passagem de veículos terá uma largura de 4,5 metros, sendo proibido o tráfego de veículos pesados, como caminhões.

O povo fala 

Em contato com algumas pessoas que passavam pelo local foi possível ouvir opiniões divergentes sobre o que será feito no local. Alguns ainda insatisfeitos com a retirada dos ambulantes, como Júlio Henrique, de 27 anos, que trabalha próximo ao local.

— Eu acho que não tinha razão para retirar eles [ambulantes] daqui. A gente viu que demorou muito desde a hora que eles saíram até começar de verdade a construir isso aí, mas, se isso realmente terminar, deve ser bom para o trânsito da 1º de Junho — disse.

Há também quem duvide da finalização da obra, como é o caso de mãe e filha que passavam pelo local e foram abordadas pela reportagem.

— Tomara que eles terminem isso aí, porque a gente sabe que obra de Prefeitura é quase eterna — pontuou Zélia Pereira, de 56 anos.

Obras 

No fim de junho, a Prefeitura iniciou a reforma da faixa elevada no cruzamento da avenida 1° de Junho com a São Paulo. Segundo a Secretaria de Trânsito (Settrans), a adequação da travessia vai garantir a melhoria e conforto dos usuários que transitam pela área. Na ocasião, o órgão prometeu que em 15 dias seria feita a pintura estratigráfica no local. Sobre a abertura da nova via, disse em nota que o trabalho da Secretaria Municipal de Operações e Serviços Urbanos (Semsur) se encontra a todo vapor e espera concluí-lo em breve.

— Estamos realizando o assentamento de jardineiras, reforma do piso, construção de passeio, construção de canteiros, confecção de tampas de canaletas e recolocação do Olho Vivo. A Settrans já realizou adequação dos semáforos de pedestres, adequação da travessia elevada, mudanças na sinalização vertical (placas) e instalação de novas, faltando somente implantar a pintura estratigráfica das faixas de pedestres, linha de bordo e estacionamento. Apesar das circunstâncias que vivemos em consequência da pandemia, os trabalhos seguem em ritmo acelerado e a previsão é que a via seja aberta em 30 dias — finalizou a Administração.

 

Comentários
×