Obras do novo Camelódromo devem ser concluídas nas próximas duas semanas

Matheus Augusto

Os vendedores ambulantes de Divinópolis se reuniram ontem na porta do novo Centro de Comércio Popular, na rua Getúlio Vargas, entre Minas Gerais e São Paulo. A Associação Profissional dos Vendedores Ambulantes de Divinópolis (Aprovad) realizou o sorteio dos boxes que cada um dos interessados vai ocupar. O Agora esteve no local e conversou com a presidente da associação, Maria Inês Rodrigues Alves. Segundo ela, a maior parte do espaço está sendo disponibilizada para adesão dos membros da entidade. 

— Aqui dentro estão sendo construídos 92 boxes, sendo que 65 são para a associação dos camelôs — explicou.

Questionada se o número seria suficiente para atender à quantidade de interessados, a presidente explicou que a expectativa é que sobre espaço, porém ainda não foi definido o que será feito com os boxes restantes.

— Vão sobrar alguns boxes e a associação verá como será feito — declarou.

Obras

A construção dos novos já estava a todo vapor em janeiro, tanto que o vereador Marcos Vinícius (Pros) chegou a sugerir a extensão do prazo para a saída dos ambulantes até que o novo espaço já estivesse pronto para receber os vendedores. O pedido, no entanto, não foi acatado. Segundo Maria Inês, dentro de um mês, a categoria já deve estar comercializando seus produtos.

— Eu acredito que será preciso mais uns 15 dias para terminar a obra, e mais uns dez a 15 dias para podermos colocar as mercadorias e começarmos a trabalhar — afirmou.

Sobre como ficou acordado o aluguel com o responsável do local, a presidente da associação explicou que foi definido um valor fixo até 2021.

— A gente vai pagar R$ 200 de aluguel por pessoa durante dois anos. Depois, a gente vai pagar, parece, a metade de um salário mínimo — finaliza.

Saída

Os ambulantes deixaram o Camelódromo na rua São Paulo, local que ocupavam desde 2008, no dia 12 de janeiro. Já no dia seguinte, uma força-tarefa da Prefeitura, com servidores de diversas secretarias, iniciou o trabalho de retirada de todos os 78 boxes. Além disso, produtos deixados para trás foram identificados, lacrados e guardados. Na semana seguinte, a força-tarefa voltou ao local, desta vez para remover a tenda que cobria o espaço.

A previsão é de que a Prefeitura inicie no próximo mês os trabalhos para permitir o fluxo de veículos na via. Conforme o projeto apresentado pela Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte (Settrans), divulgado no início deste mês, o sentido permitido será apenas da avenida 1º de Junho para a Getúlio Vargas. Além disso, veículos pesados, como caminhões, não terão autorização para utilizar a rua.

De acordo com o projeto, a via terá velocidade de segurança de no máximo 30 quilômetros por hora. Como conta o secretário de Trânsito e Transporte, Marcelo Augusto, o estudo visa também evitar congestionamento no tráfego.

— O desenho da pista em curva foi projetado no modelo traffic calming (trânsito leve), de forma a se evitar a retenção do tráfego de veículos da avenida 1º de Junho — explicou.

Além disso, um novo conjunto de semáforos deverá ser instalado para a travessia de pedestres. As vagas para estacionamento, disponíveis na parte inferior de onde ficava o Camelódromo, também serão mantidas, porém passar a ser em 45 graus.

 

Comentários
×