Obras da estação de esgoto do Copacabana entram na fase final

 

Da Redação

A estação de tratamento de esgoto (ETE) do bairro Copacabana é uma reivindicação antiga dos moradores, e, em 2017, a atual gestão da Prefeitura de Divinópolis se comprometeu a resolver a situação das 500 famílias do conjunto habitacional, que convivem sem rede esgoto.

São instaladas 27 caixas para o tratamento. O processo é dividido em três etapas: nove caixas são para fossas (tratamento primário de esgoto doméstico); outras nove, para filtros (reator a matéria orgânica estabilizada por microrganismos); e o restante, destinado para o sumidouro (etapa final do processo de tratamento primário do esgoto).

De acordo com o secretário municipal de Fiscalização de Obras Públicas e Planejamento (Semfop), Júlio Cesar Belizario Campolina, a obra está na fase de aterramento.

— Com o período mais seco, é possível intensificar a obra e agilizar a sua conclusão. Os serviços já estão em fase final, e esperamos entregá-la em dois meses — afirmou Campolina.   

A obra beneficiará diretamente 500 famílias que hoje convivem com fossas e custará R$ 335 mil. O Residencial Copacabana foi inaugurado em novembro de 2012.

A Prefeitura de Divinópolis realizou a licitação da obra, e a Companhia de Saneamento de Água e Esgoto ficou responsável pelos custos.  

Desde o começo de 2017, a Prefeitura negocia com a Copasa a implantação do tratamento de esgoto do bairro. Em março do ano passado, o prefeito visitou o local para definir os detalhes da obra e conhecer de perto o problema.

—  Vamos resolver uma situação que se arrasta há muitos anos para dar dignidade a quem mora no Copacabana —  afirmou o prefeito de Divinópolis, Galileu Machado.

Comentários
×