Obras da Copasa recomeçam pelo Vila Romana

Segunda fase de implantação da ETE do Itapecerica instala interceptor no bairro para construção de rede coletora

Da Redação

Com previsão de um ano para a conclusão, a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) iniciou na última sexta-feira, 3, as obras da 2ª etapa do Sistema de Esgotamento Sanitário (SES), no bairro Vila Romana.  Além das obras na bacia do rio Itapecerica, está prevista no escopo licitado a implantação do SES Santo Antônio dos Campos (Ermida), que contempla a construção da Estação de Tratamento (ETE), elevatórias e interceptores. A construção dos interceptores possibilitará a implantação de infraestrutura de redes coletoras em várias regiões da cidade que hoje não contam com esse benefício. 

Redes coletoras 

A retomada no Vila Romana, onde é feita a implantação do interceptor, possibilitará a construção de redes coletoras nos bairros São Geraldo, prolongamento do Halim Souki, Del Rey, Do Carmo, Univesitário e Primavera. De acordo com a Copasa, o interceptor córrego do Bagaço será interligado às redes dos bairros Nova Fortaleza I, Nova Fortaleza II, Serra Verde, Nossa Senhora da Conceição. Ainda conforme a empresa, o interceptador Engenho permitirá a implantação das redes nos bairros Jardim das Acácias e Geraldo Pereira. 

— Com a construção do interceptador Pari, serão implantadas as redes para atender aos bairros Terra Azul, Costa Azul e Maria Peçanha. O interceptador Milho Branco possibilitará o atendimento aos bairros Jusa Fonseca, Dona Quita e Santa Rosa com as redes coletoras — comunicou, em nota, a estatal.

O Município 

A Prefeitura, que assinou o termo de contrato no último dia 22, explica que serão instalados 70 quilômetros de interceptores ao longo das margens do Itapecerica e dos córregos contribuintes para captar os esgotos provenientes dos imóveis das regiões localizadas entre o bairro Belvedere até as margens do córrego do Bagaço.

— As obras da 1ª etapa permitiram a implantação da ETE Itapecerica, estações elevatórias e interceptores. Mais de 90% das estruturas da ETE estão concluídas e em fase de testes operacionais. A ETE do Itapecerica terá capacidade para tratamento de 400 litros por segundo e tratará 100% do esgoto coletado em Divinópolis — destacou.

O investimento na implantação e ampliação do sistema de esgotamento sanitário será de R$ 143 milhões. A Copasa também informou que, atualmente, o percentual de atendimento do serviço de água do município é de 93,89% e o de esgoto de 82,86%. Disse ainda que são tratados 3,68% do esgoto coletado na ETE do rio Pará.

Coment√°rios
×