Obras atrasam e vereador pede mais 30 dias para saída de ambulantes

Intenção, segundo Marcos Vinícius, é garantir uma mudança tranquila para os comerciantes da área

Matheus Augusto

A saída dos ambulantes do Camelódromo, com prazo final para o próximo domingo, 12, pode não ser concretizada. Pelo menos é a intenção do vereador Marcos Vinícius (Pros). O ex-presidente da Câmara divulgou em suas redes sociais que pretender solicitar à Prefeitura mais 30 dias para os ambulantes deixarem o Camelódromo para o novo espaço, ainda em construção.

— As obras de adaptação do imóvel para receber o Camelódromo sofreram atraso em face das chuvas. Por isso, reivindicando mais 30 dias para a transferência do Centro de Comércio Popular com a desocupação da rua São Paulo. Isso se justifica pela razoabilidade e por entender que o caso envolve mobilidade urbana, sistema viário em função do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), segurança pública, projeto urbanístico e acessibilidade — explicou.

De acordo com o vereador, mesmo com a intenção da Prefeitura de retirar os profissionais do local, é preciso garantir a estrutura de um novo espaço.

— Mas de lado outro há um aspecto tão forte e necessário que é o social. São quase cem trabalhadores, pais de família, com subsistência adstrita às vendas pelo camelódromo. Seria desumano despejá-los sem antes garantir-lhes outro ponto de comércio para sustento de suas famílias.  Portanto, mais 30 dias para desocupação consensual e menos traumática. Isso é medida de respeito aos trabalhadores e à vida — destacou.

Prazo mantido

Ao Agora, a Prefeitura comunicou desconhecer a intenção do vereador e não prevê a possibilidade de mudanças no planejamento.

— A Administração não tem conhecimento dessa solicitação e, mesmo que tivesse, a retirada dos ambulantes do Camelódromo segue a previsão assumida com a Prefeitura e o poder Judiciário: 12 de janeiro — ressaltou.

Sobre a possibilidade de abertura da via, com o objetivo de beneficiar o trânsito de ambulâncias do Samu, a Prefeitura disse que ainda estuda as alternativas.

— Ainda não há definição do projeto para o local — finalizou.

 

Comentários
×