Obelisco da Praça do Santuário

Bob Clementino 

Há anos, ouço o povo perguntar onde está o antigo obelisco da Praça do Santuário. Até a década de 60, ali, no Centro Cultural do Povo, havia um obelisco que foi retirado para a construção da nova praça, projetada pelo arquiteto Aristides Salgado. Diante das indagações, Felipe Machado, que criou e é administrador da página “Memória de Divinópolis” no Facebook, entrou em contato com Aristides Salgado buscando saber que fim levou o obelisco.

Destino do obelisco

Segundo Felipe Machado, Aristides contou que o velho obelisco, ao contrário do que muitos pensam, não era feito de um bom material, como o imponente obelisco da Praça 7, em Belo Horizonte. O de Divinópolis, inaugurado em maio de 1936, era um simples empilhamento de tijolos trançados, revestido com cimento.  À época dos estudos da nova obra da praça, o obelisco já estava descascando, perdendo o reboco e foi demolido, como se derruba uma simples parede de alvenaria. Não constava dos projetos da nova praça e seria impossível fazer a obra, com seus aterros, desaterros e planagens, sem abalar as estruturas do decadente obelisco de tijolos.

Precisamos mesmo de tantos vereadores?

Os 17 vereadores de Divinópolis, por seus salários, custam aos cofres públicos, em quatro anos de mandato, R$ 10.760. 042,06. Cada vereador recebe mensalmente R$ 12.177,65. Em um ano e com 13º, cada vereador nos custa, em valor bruto, R$ 158.309,45. Em quatro anos, gastamos com cada vereador R$ 633.237,80 e os 17 vereadores custarão R$ 10.760.042.06, sem computar os direitos sociais, assessores, mordomias outras e penduricalhos. Será que precisamos mesmo de 17 vereadores?

Vereadores x presidentes de bairros 

A Câmara de Divinópolis é uma ilha paradisíaca dentro de uma cidade cuja Prefeitura está sempre sob calamidade financeira. Todos os meses, a Administração é obrigada a depositar para a Câmara o duodécimo, o que corresponde a mais ou menos R$ 20 milhões por ano ou R$ 80 milhões em quatro anos. Neste ano, 14 edis tentarão se reeleger. Não é um excelente momento para discutirmos se a cidade precisa pagar a cada edil mensalmente R$12.177,65? Acho que não precisa! Meu ponto de vista sobre o assunto:

Vereadores x presidentes de bairros

O vereador é eleito para fazer leis e fiscalizar o Poder Executivo, e não para ficar quatro anos de mandato chantageando o prefeito, visando a conseguir cargos comissionados, em troca de apoio ao executivo nas votações na Câmara. Então, é até compreensível que um vereador seria merecedor de reeleição se, ao fim de 4 anos, tivesse aprovado boas leis e fiscalizado com empenho os atos do alcaide. Onde entram os presidentes de associações de bairro?

Vereadores x presidentes de bairros

Um dos desvios das funções de um vereador é quando ele resolve ser o responsável pelas obras nos bairros da sua base eleitoral, as quais, como todo mundo sabe, tocam exclusivamente ao Executivo. E quanto a cobrar obras nos bairros, os presidentes das associações são os interessados e hábeis a fazer isso.

Defendo que os que vereadores de Divinópolis reduzam à metade os seus salários na próxima legislatura e se contenham às funções para as quais foram eleitos e que são definidas: fazer leis e fiscalizar os atos do Executivo.  

A missão “cara e desgastante” de implorar ao prefeito obras para os bairros fica com e toca aos presidentes de associações de bairros, que a fazem de forma voluntária. E se o trabalho do vereador nem engloba tal tarefa, menor ainda é a sua atividade, não  justificando  cada  um  receber  R$ R$ 12.177,65 de salário. R$ 6.000,00 está muito bom! Até demais, eu concluo!

Cadê os eleitores de Galileu?

Em todas as eleições que Galileu Machado (MDB) é candidato a prefeito, talvez em razão de ser ele idoso (hoje, 88 anos), vêm as seguintes e cruéis narrativas: “base eleitoral de Galileu é de idosos e muitos já morreram”.   Ledo engano! Primeiro, não é só de idosos a base eleitoral de Galila, senão inexistiriam os 58 mil votos que obteve, em 2016. E mais: se a base eleitoral de Galila é composta por idosos, que se cuidem os demais candidatos! Segundo os últimos dados do IBGE, Divinópolis tem 47 mil idosos.

 

Comentários
×