O uso do vídeo no futebol

Batendo Bola

José Carlos de Oliveira

jcqueroviver@hotmail.com.br

 

Os velhinhos que comandam o futebol mundial - da International Football Association Board (IFAB), órgão que regulamenta as regras na prática do futebol –, sempre foram reticentes quanto a mudanças na forma como são disputados os jogos e torneios.

Em toda a história do esporte, foram poucas as mudanças introduzidas no jogo. E agora, num repente só, eles acenam com alterações significativas nas regras, que podem mudar a forma como o futebol é visto hoje.

 Tecnologia para definir os lances

Durante a Copa das Confederações, disputada na Rússia, eles tentam introduzir a tecnologia para definir alguns lances duvidosos. A medida que vem sendo colocada em prática, em tese está atingindo os objetivos traçados – diminuir erros capitais em alguns lances – mas ainda está longe do ideal.

Antes de ser colocada em prática, a ideia era de que a definição pelo árbitro de vídeo não ultrapassasse os 20 segundos. E em nenhuma vez que foi colocado para decidir algum lance, ele atingiu o tempo proposto. A diferença é sempre para mais, e isso pode acabar por inibir (ou até coibir) as mudanças.

Mas, mesmo assim, a medida tem que ser analisada com carinho, para que muitos times não sejam prejudicados pelos erros dos juízes. No Campeonato Brasileiro 2017, que é liderado até aqui pelo Corinthians, por exemplo, muitos lances duvidosos aconteceram, e com o auxílio do árbitro de vídeos, alguns resultados poderiam ser alterados.

Jogo com tempo corrido

Mas a medida, acenada pelas novas mudanças, que pode transformar de vez o modo como é disputado o jogo, diz respeito ao tempo de cada partida. A ideia da International Board é introduzir um tempo de 60 minutos corridos (de bola rolando) para cada confronto, com o cronômetro sendo interrompido todo lance que a bola estiver parada, como acontece atualmente no Futsal e no basquete, por exemplo.

Esta é uma transformação que seria radical. Se vai chegar para o bem ou para o mal é questão de pagar para ver. Esta não é uma questão matemática. Pode até ser uma boa, mas também pode ser um tiro no pé. É esperar para conferir os novos lances dos “velhinhos”.

MANGUIERAS BRASIL

Liga Mundial de Vôlei

A Liga Mundial de Vôlei começa no dia 4 de julho, e vai ser disputada na Arena da Baixada, em Curitiba, estádio do Atlético Paranaense. Um torneio a nível internacional num estádio de futebol, no Brasil, é sinônimo de sucesso. O torneio tem tudo para ser o melhor de todos os tempos e entrará para a história do voleibol mundial.

Em termos de público presente para acompanhar os jogos, o resultado já está mais que garantido. Se vai ser sucesso técnico, principalmente para os lados do time nacional, já são outros quinhentos. Agora sob o comando de Renan Dal Zotto, a seleção vive de altos e baixos e ainda não engrenou e nem mesmo empolgou a torcida.

O treinador e seus comandados terão que correr contra o tempo para corrigir os defeitos apresentados, principalmente na derrota para a Argentina na noite de sábado, ou do contrário irão decepcionar a torcida brasileira.

Muita disposição e pouco futebol

Ufa! Enfim o Atlético venceu uma fora de casa, no Campeonato Brasileiro. O resultado dá um pouco de tranquilidade para o grupo, esperança para a torcida e uma sobrevida para o técnico Roger Machado, que começa a ter seu trabalho questionado por torcedores, dirigentes e até mesmo por parte da mídia esportiva.

Mas, que ninguém na Cidade do Galo se engane. O resultado foi importante sim, mas em termos de futebol de qualidade, o time continua devendo. A partida de domingo, no Morumbi, foi de dar calo nos olhos de tão ruim que foi. Esta é a verdade.

 

Comentários