O Rafael...

Habemus secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo. A posse de Rafael Nogueira, que assumiu a pasta no lugar de José Alonso, foi ontem. E, apesar de ter “subido” de cargo na Prefeitura, José Alonso se mostrou bastante apegado à secretaria, em que ele esteve à frente durante dois anos e meio. Na coletiva de imprensa realizada pelo Poder Executivo, o ex-secretário insistiu em dizer que estava à disposição de Rafael, caso ele precisasse. A posse do empresário traz esperança para o setor industrial e para o comércio de Divinópolis. Rafael assumiu a pasta com o respaldo das entidades que fazem parte do Grupo Gestor, e que não veem a atuação de José Alonso com os mesmos olhos da Prefeitura. Bastante centrado, o novo secretário de Desenvolvimento Econômico disse que irá dar um passo de cada vez. Sensato, muito sensato. Pois, já dizia o ditado, “quem nunca comeu melado, quando come se lambuza”. É melhor mesmo Rafael ir com calma nas estratégias e não focar apenas em um segmento para que Divinópolis ganhe com a sua atuação.

Mais áudios

Depois de o tsunami Marcelo Máximo de Morais, ex-aliado do prefeito Galileu Machado (MDB), divulgar áudios de conversas suas com o chefe do Executivo, a moda pegou em Divinópolis. Agora tudo é áudio, todo mundo grava todo mundo no meio político. E parece que outra bomba está por vir, e adivinhem? São mais áudios. Circula nos bastidores da política que alguns áudios foram entregues para um vereador, e estavam sendo periciados para somente então serem divulgados. Mas circula também que, caso esses áudios sejam verídicos, uns dois vereadores de Divinópolis e um deputado estadual vão ficar enrolados. Até que se comprove a autenticidade destas supostas gravações, e o parlamentar esteja disposto a tornar público, o jeito vai ser segurar a ansiedade e esperar. Só sabemos que, neste momento, o que deve ter de gente se roendo, ah, deve ter, sim. Mas, é como diz o ditado: quem não deve não teme.

Um blefe?

Dizem que uma das melhores estratégias para se ganhar um jogo do poker é o blefe. E na política não é tão diferente, não. Quem é esperto blefa o tempo todo, e com isso elimina alguns “inimigos” menos experientes. Pode ser que estes áudios sejam verdadeiros, ou não. Pode ser que seja só um blefe, só uma estratégia para fazer com que quem tem culpa no cartório se entregue. Pode funcionar? Talvez sim, talvez não, mas o que sabemos é que tem muita gente por aí rezando para serem blefe essas gravações. Dizem nos bastidores que um dos vereadores que possivelmente seria atingido por estes áudios é um que se declara justiceiro do povo e oposição ao prefeito. É aquilo, né? De boas intenções o inferno está lotado. Tem outro ditado que é certeiro também: quando a esmola é demais, o santo desconfia. Então é bom o povo começar a desconfiar destas oposições extremas, exageradas, cheias de palavras bonitas porque, se é blefe ou não, uma hora dessas deve ter muita gente rezando por aí para que o vereador se mantenha como está: quieto.

Mas vai cutucar a onça

Desde o início das reuniões ordinárias este ano, os vereadores adotaram um sistema um tanto quanto questionável de autodestruição. Os parlamentares gastam todas as suas energias em prejudicar o colega e descobrir podres do outro, enquanto Divinópolis carece de mais ajuda. Ao que tudo indica, esses áudios, que podem vir à tona (ou não), foram parar nas mãos de um vereador que estava quieto no seu canto, mas foi cutucado com vara curta por um outro que ama aparecer. Então, agora, que todos segurem esse rojão. E tomara que não seja apenas um blefe.

Comentários
×