O que dizer para nossas crianças?

O que dizer para nossas crianças?

 

Precisamos lutar pelo direito de ser criança! A infância é uma fase extremamente importante para a construção de uma pessoa. Nela, desenvolvemos nosso psicológico, nosso físico e nossas primeiras habilidades. 

 

Sou muito grata pela minha infância, nela comecei a sonhar com o que sou hoje, tive o cuidado e amor dos meus pais e a educação em uma boa escola pública de Divinópolis. Mas, infelizmente, essa não é a realidade de todas as crianças. No Brasil, ter infância virou uma exceção. 

 

Além dos dados alarmantes de trabalho infantil, segundo dados do estudo da Rede Feminista de Saúde, Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos do Paraná, em média uma criança é mãe a cada 20 minutos no Brasil. 

 

Esses dados demonstram violações enormes ao direito à infância, pois, além de significarem que ocorreu ato sexual que não poderia ter acontecido, significa o fim de uma infância de forma completamente precoce. O que dizer para essas crianças?

 

Não se trata apenas de uma gravidez, isso significa o estupro de vulnerável! De acordo com o artigo 217-A do Código de Processo Penal, a relação sexual ou com crianças e adolescentes de até 14 anos de idade é considerada estupro de vulnerável, independente de ter havido consentimento.

 

A situação do Brasil é preocupante internacionalmente. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), a América Latina é a segunda região com mais gravidez infantil.

 

A pesquisa da Rede Feminista de Saúde também indicou que essas mães são crianças de 10 a 14 anos, entre elas apenas 28% frequentaram a escola dos 8 aos 11 anos. A maioria são meninas pobres, sendo 71,1% negras.



Para além da vida dessas meninas, a economia brasileira perde 7 bilhões com a perda de educação e de renda das meninas que ficam grávidas na adolescência, segundo o estudo do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA). Pesquisas do Banco Mundial ressaltam que, além dos custos econômicos,  filhos de mães precoces costumam ter desempenho escolar mais baixo.



Nossas crianças precisam de proteção!

 

*Laiz Soares é formada em relações internacionais pela PUC Minas e pela Essca na França. Atuou liderando equipes e projetos no setor privado, em ONGs e no Congresso Nacional. Idealizadora da Escola de Líderes.

 

Comentários
×