O quarto poder

João Carlos Ramos

O filósofo, político e escritor francês Charles-Louis de Secondat, mais conhecido como MONTESQUIEU, desenvolveu no século XVIII a teoria da separação dos poderes, através de sua famosíssima obra

"O Espírito das Leis". Nela, o autor cria a teoria dos três poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário). O governo dos Estados Unidos a utilizou para criar a sua constituição. O Brasil também a usou na constituição de 1891. Tais poderes são fundamentais para o desenvolvimento jurídico e social de um país. Infelizmente, sabemos que, apesar de distintos, eles são às vezes, coniventes com atitudes duvidosas. Com o surgimento da tecnologia, surge o "empoderamento" vertiginoso do quarto poder, ainda que já existisse, timidamente, desde meados do século XIX.

Pois bem! Hoje as mídias sociais representam o temível juiz e advogado das causas sociais e incrível propagador de ideias e ações boas ou más. Temos constatado, através dos noticiários, vários linchamentos virtuais de indivíduos que jamais seriam justiçados pelos poderes, antes referidos. Vimos, semanas atrás, a atitude de um desembargador que praticou o crime de abuso de poder e ainda tentou se atirar no abismo da impunidade. No decorrer desta semana, outro indivíduo, que se dizia riquíssimo, praticou injúria racial e ameaças, mesmo sabendo que estava sendo filmado.

Em plena pandemia, um determinado pastor (não de ovelhas...) implorava pela negociação de uma semente de feijão por mil reais e ainda tinha a audácia de citar a Bíblia em errônea interpretação.

Ainda podemos constatar líderes religiosos disputando territórios lucrativos, como bocas de fumo do submundo do crime. Também usam a Bíblia como arma e o inferno como represália.

Tudo isso a sociedade toma conhecimento através da imprensa, o QUARTO PODER. Tudo que é oculto será revelado (Marcos 4:22). Infelizmente, esses homens também usam o quarto poder para sugar os ingênuos e iletrados. A pandemia da covid-19 poupou os políticos da cobrança popular, acerca da produtividade em seus mandatos e eles estão muito felizes com isso...

Distribuir cestas básicas e se compadecer do povo se tornou sinônimo de sucesso político, com possibilidades enormes de reeleição (pão e circo, agora é justificável...).

Há relatos de pessoas que se iniciaram na prática de uso de drogas por falta de opção em gastar os 600 reais, ofertados pelo governo com dinheiro público. Tudo isso vem à tona através do quarto poder.

Podemos constatar os inúmeros benefícios em relação aos gênios das periferias que se revelaram, pois a escola tradicional contribuiu para o ocultamento deles. Todos têm voz e vez no mundo midiático.

Lembremos dos eternos esquecidos autodidatas que por inúmeros motivos sociais não conseguiram obter uma formação acadêmica e agora podem iluminar o mundo com seus talentos.

A agilidade das mídias contribui fortemente para o "acordar" dos demais poderes constituídos, pois eles sabem que "o buraco é mais embaixo" e podem ser execrados impiedosamente, praticando qualquer deslize. Devemos, a meu ver, praticar a justiça em todos os níveis e ficar atentos como atalaias do bem, para denunciar desvios de conduta e iluminar a senda dos humildes de espírito.

Tudo está sendo filmado e (ou) gravado! Cuidado com suas atitudes ou palavras!

Graças a Deus pelo quarto poder na prática do bem!

jocarramos@gmail.com

Comentários
×