O pau quebrou

Preto no Branco - O pau quebrou 

Se não tivesse bate-boca, falas estridentes e troca de farpas, não seria reunião dos vereadores na Câmara de Divinópolis. O último tempo quente foi protagonizado entre os vereadores Rodrigo Kaboja (PSD) e Roger Viegas (Republicanos) no encontro da tarde de terça-feira. A coisa foi tão feia que o veterano na Casa passou mal e precisou ser levado para hospital. A discussão começou após o projeto de reestruturação do Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Divinópolis (Diviprev),  que altera a Lei Complementar n° 009/2021, ser prejudicado com uma emenda de Kaboja.  A consequência é que a proposta não pôde ser votada. Roger, então, criticou a postura do colega e o “pau caiu a folha”. Não foi a primeira vez e, certamente, não será a última, visto que o Plenário ultimamente parece mais um ringue. Quando se acaba uma reunião, muita gente fica se perguntando: quem serão os protagonistas do próximo combate? 

Sem acordo 

Pelo menos foi o que disse Viegas em sua tréplica se referindo a Kaboja e que jamais o fará. Porém, nos bastidores, se falava de um possível combinado entre os vereadores para votarem favoravelmente ao projeto. Kaboja arregalou os olhos na hora da cobrança e afirmou que seu acordo é com os comissionados e com sua consciência. Logo depois, ao não se sentir bem, foi embora e deixou a proposta sem poder ser votada e previsão de mais ânimos exaltados para os capítulos de hoje, mesmo que não seja por parte deles dois. Só que o enredo precisa ser mexicano, senão, perde a graça.

Terceirização e exclusão 

Que a situação Polícia Civil (PC) em Minas Gerais não é das melhores, e não é de hoje, é de conhecimento público. Estrutura precária e falta de servidores vem sobrecarregando os atuais e comprometendo o trabalho deles. No entanto, mudanças à vista por parte do governo do Estado – que não agradam nem um pouco a corporação e os sindicatos – prometem mudar esta realidade.  São três projetos em tramitação, que propõem mudanças na instituição. O risco de uma futura terceirização de serviços da PC e a exclusão das carreiras administrativas da corporação são as principais preocupações da categoria apontadas em uma audiência pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Além de “se virarem nos 30” para dar conta da demanda, vão fazer isso, a partir de agora, com medo e receosos do que lhes espera. 

Trânsito fora 

As principais mudanças estão na Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 71/2021, mas outros dois projetos que dizem respeito à Polícia Civil foram já entregues à ALMG. Um deles é o que cria o Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG), desvinculando esse departamento da PC e o subordinando à Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão. Se for para melhorar o péssimo atendimento realizado hoje, ótimo. Agora, se for para bagunçar, transferindo para uma secretaria mais nada a ver, melhor deixar quieto. 

 ‘Filhas de Minas’

Nobre a atitude da Polícia Militar de Minas Gerais ao lançar operação com slogan e ações para comemorar os 40 anos da inserção das mulheres na corporação. “Filhas de Minas” também foi lançada em Divinópolis, sob a batuta da 7ª Região da PM.  A solenidade foi ontem de manhã na Praça do Santuário, comandada pela 2º sargento Adriana Aparecida Ribeiro, e parte do grupamento representativo foi composto pela tropa feminina. Cerimônia linda e justa, afinal, elas também se sacrificam dia e noite, colocando em risco a própria vida. Muito gratificante ver a valorização da mulher em um ambiente que até pouco tempo era considerado, por muitos, machista. Parabéns aos comandos da PM e que venham novos exemplos e mais reconhecimentos.  

Reeleito 

Eleição realizada nos dias 30 e 31 desta semana reconduziu à presidência do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Municipal de Divinópolis (Sintemmd) Rodrigo Rodrigues Ferreira. Sua chapa teve 88% dos votos e o apoio da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB). Para a nova gestão, o dirigente aponta uma luta   urgente: a derrubada da PEC 32, que, conforme ele, trata-se de um pacote de maldade e tira do direito da população junto aos serviços públicos. Nessa colocação, discordo com ele. Na verdade, a população atualmente só tem deveres, seus direitos, perdeu há muito tempo!




Comentários
×