O fim dos tempos

O fim dos tempos

O ano está chegando ao fim e, além da covid-19, os brasileiros agora enfrentam um surto do subtipo H3N2 do vírus Influenza, que tem gerado surtos atípicos de gripe em dezenas de cidades brasileiras, depois de promover uma epidemia no Rio de Janeiro. Especialistas apontam duas causas para que o vírus tenha se espalhado por aqui fora de hora devido: a baixa adesão à vacina da gripe e o relaxamento das medidas que estavam sendo tomadas para frear o coronavírus. O que é mais estarrecedor nesta situação é saber que a cepa H3N2 já está na vacina contra há tempos, pois o Butantan produz todos os anos uma fórmula com o H1N1, H3N2 e o influenza do tipo B e, mesmo assim, o Brasil enfrenta um surto da doença. O atual quadro só mostra uma coisa, o negacionismo, a falta de responsabilidade de empatia da população é o que vai causar o fim do mundo. 

Na Bíblia, em Mateus 24:12, está o seguinte: "E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará”. Segundo religiosos, a passagem diz sobre o fim dos tempos. E sim, talvez o que está na Bíblia seja o verdadeiro anúncio de que tudo está se acabando. Se olharmos bem para tudo o que a humanidade está enfrentando há quase dois anos, tudo foi causado por um simples fator: a falta de amor ao próximo. Dos primeiros casos suspeitos na China a virar uma pandemia, ao agravamento do quadro, às milhões de mortes, absolutamente tudo se deve a um único causador: o ser humano. 

Talvez a passagem de Mateus na Bíblia seja o anúncio do fim do mundo, afinal, quando se tem uma vacina contra um vírus e você decide ignorá-la, seja por qualquer motivo, você não está apenas se colocando em risco, mas todos que estão ao seu redor. Quando se tem especialistas em determinado assunto – como o da covid-19 – orientando a população sobre o que fazer e como controlar uma situação, e você faz tudo ao contrário, você expõe a si mesmo e todos que convivem com você. Talvez, Jesus tenha previsto que o ser humano seria o responsável pela extinção de sua espécie, quando diz que “o amor de muitos esfriará”. Sim! Pode parecer um pouco radical, mas o atual momento é resumido a uma causa: falta de amor. 

Saindo um pouco da Bíblia e partindo – mais uma vez – para a ciência, Charles Darwin foi pontual quando, em sua Teoria da Evolução, disse que há uma luta constante pela sobrevivência e a seleção natural atua nesse processo. Assim sendo, o organismo mais apto conseguiria sobreviver e teria mais chances de reproduzir-se, preservando, desse modo, as variações úteis para cada espécie. Sem sombra de dúvidas, nós, seres humanos, não nos encaixamos nessa teoria, pois, quando se tem a prevenção, ainda optamos pelo pior caminho, o do remédio (quando se tem). É impossível, mais uma vez, chegar até aqui sem sentir revolta por, mais uma vez, estarmos diante um mal invisível, quando se tem todas as informações e acesso de forma facilitada. 

Tudo o que a humanidade passa agora se deve a um único fator: ela mesma. A única causadora de todo este processo, doloroso, que mata e deixa a certeza que o fim dos tempos chegou.

 

Comentários
×