O espetáculo

O espetáculo 

A população de Divinópolis assistiu ontem a mais um espetáculo na Câmara. O vereador Diego Espino (PSL) perdeu o “rumo” durante o seu pronunciamento na Tribuna Livre, passou mal e caiu enquanto discursava. Mais uma vez, o Poder Legislativo foi palco de um show, que viralizou em todo o país. Durante o seu pronunciamento, o parlamentar gritou, esbravejou, xingou, bateu na tribuna até, já visivelmente exaurido, não aguentar mais e cair para trás, quando precisou da ajuda dos colegas para se levantar e ser conduzido ao plenarinho para se recuperar. A reunião foi momentaneamente suspensa. Quando voltou, o presidente, Eduardo Print Jr (PSDB), informou que o parlamentar estava bem e recebia atendimento.

Engana-se quem pensa que o comportamento do parlamentar ontem foi um fato isolado. A atual legislatura já protagonizou episódios dignos de Oscar. Esses acontecimentos, além de trazerem uma descrença muito grande para aqueles que acreditam, a cada eleição, que a mudança acontecerá – nem que seja aos poucos –, só nos mostram que precisamos, e muito, evoluir como eleitores. 

Diego Espino e seus pares não são pagos para protagonizar esse tipo de espetáculo no Poder Legislativo. Eles são pagos para ouvir o povo e ser seus representantes. Os vereadores são pagos para cumprir o parágrafo único do artigo primeiro da Constituição Federal, que determina: “Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente”. 

Assim, continuamos do lado de cá sem esperança de grandes mudanças, pois, do lado de lá, mais vale um show na mão do que o trabalho em dia, do que a representatividade feita com responsabilidade. Talvez vai ser desta forma durante um tempo, até que o povo aprenda a votar, a escolher. Afinal, tudo não passa de um reflexo, de um espelho, de uma água bem cristalina. Se estamos pagando vereador para dar show em plenário, é porque gostamos e ele tem público para isso.

 

Comentários
×