O capital próprio nas empresas

O capital próprio, também chamado de patrimônio líquido, é uma conta do balanço que merece especial atenção. Para que uma empresa seja considerada eficiente, o lucro ao fim de um período deve ser suficiente para remunerar bem o capital próprio, que é o capital dos sócios da empresa, ou seja, quanto mais capital próprio estiver investido na empresa, maior deve ser o lucro.

Toda empresa tem em seu balanço, capital próprio e capital de terceiros. Há empresas que sempre têm o capital próprio bem maior que o capital de terceiros. São as empresas classificadas como seguras.  Há também empresas que sempre têm o capital próprio menor que o capital de terceiros, classificadas como agressivas.

 

Qual é o certo, trabalhar com capital próprio ou com capital de terceiros?

 

Neste caso não há certo nem errado, depende do perfil do empresário. Há empresários que não se sentem bem trabalhando com capital de terceiros; preferem crescer mais lentamente com capital próprio.  O que importa, neste caso, é o seguinte: quanto mais capital próprio há no negócio, maior deve ser o lucro para que se possa remunerar bem o capital investido.

Vamos imaginar, a título de comparação, duas empresas A e B, muito parecidas, no mesmo ramo de atividade e com mesmo faturamento. Imagine que a empresa A possua mais capital próprio que a empresa B. Se os lucros líquidos das duas empresas forem iguais, a empresa B é mais eficiente que a empresa A, uma vez que o lucro líquido da empresa B remunera melhor o capital próprio. Para comparar a eficiência de duas empresas basta comparar a relação do lucro líquido dividido pelo capital próprio. Quanto maior o resultado, mais eficiente será a empresa.

Muitos empresários tendem a não levar em consideração o custo do capital próprio investido na empresa. Isso é um erro, pois o dinheiro tem custo ao longo do tempo. A rigor, o capital próprio deve ser mais bem remunerado que o capital de terceiros, pois o risco do capital próprio é maior que o risco do capital de terceiros.

 

Como melhorar a rentabilidade do capital próprio nas empresas?

 

Faça uma análise cuidadosa de todos os ativos da sua empresa. Não se podem admitir ativos ineficientes, pois eles são responsáveis para puxar a rentabilidade da empresa para baixo. Acompanhe a evolução do estoque; seja cauteloso com as promoções dos fornecedores que oferecem descontos se você comprar muito mais que precisa. Analise com muito cuidado a política de créditos da empresa e tenha uma cobrança atenta e eficiente. Quanto ao imobilizado, verifique se todos os componentes são rentáveis, caso contrário, procure alternativas para torná-los rentáveis. Nunca descuide do caixa da empresa. Ao adquirir máquinas e equipamentos para expansão, faça antes um bom estudo de viabilidade. Também é fundamental a existência de um rigoroso controle das informações financeiras da empresa, pois as medidas financeiras indicam se a estratégia adotada por uma empresa está realmente contribuindo para a melhoria da rentabilidade do capital próprio.

        

Deseja tornar a sua empresa mais competitiva?

 

As empresas precisam ser competitivas e o mercado exige agilidade e segurança nas tomadas de decisão. A implantação de boas práticas de governança corporativa oferece condições aos membros da família para assumirem suas funções dando suporte para o desenvolvimento da empresa em bases mais sustentáveis.

Fale conosco: (37) 9.9987-9358 e acesse o nosso site: www.ctavares.com.br – você vai encontrar artigos, cursos com algumas aulas gratuitas e vídeos relacionados à melhoria da competitividade das empresas.

Comentários
×