O Bob tem razão

O competente articulista e colunista deste Agora Bob Clementino chamou a atenção em um “post” sobre a ausência de uma escada Magirus no Corpo de Bombeiros. Divinópolis é, provavelmente, a cidade do interior com maior número de prédios altos. Concentrados principalmente nos arredores, e na própria rua Rio de Janeiro, os condomínios de luxo aos poucos se espalharam a partir do edifício Frei Mariano, construídos na década de 70 pelos pioneiros desse tipo de construção, Miguel Pinto e Carlinhos da Indaiá.

Depois dele...

...vieram outros não tão altos, mas também o mais vistoso e famoso de todos, o edifício Costa Rangel, por onde passam mais de cinco mil pessoas por dia, um contingente maior que grande parte das cidades de Minas. Somente este edifício já justificaria uma Magirus por aqui.

Na verdade...

...esta escada não resolve o problema dos prédios altos, pois as melhores do mundo, e as que tem até em BH, não passam do 10º andar, o que equivale dizer que quem está acima, somente sobreviverá em caso de incêndio se resgatado por helicóptero. Mas nos edifícios Andraus e Joelma, onde morreram 16 e 188 pessoas respectivamente, se não fosse a ação rápida dos bombeiros, com as escadas Magirus, seria uma avalanche de mortes.

Não falta dinheiro

Em Minas, como parece acontecer no restante do país, existe uma taxa destinada aos bombeiros, que, se bem utilizada, daria para pagar o que fosse necessário para a segurança em casos extremos, com a compra de equipamentos. Não se sabe se o governador Pimentel (PT), cuja gestão tem colocado a mão em dinheiros que não pode, também não se apoderou desta taxa. A conferir, e o próprio Bob, que é expert nestes assuntos, poderia informar melhor. Aguardaremos.

Sabe quanto você paga...

...em uma conta de luz? — Provavelmente não, mas eis a informação correta: numa conta de R$ 411,56, 30% vão para o ICMS, ou seja, R$ 117,13; R$ 11,28 (2,89%) para o Cofins e R$ 2,57 (0,68%) para o Pasep. Além disso, tem a Contribuição de Custeio para Iluminação Pública, que é de R$ 21,13 e um adicional de bandeira amarela, de R$ 0,78. Pois bem, se não houvesse estas taxas e descontos muitos esquisitos, a conta seria bem menos salgada: R$ 258,67, ou seja, todos os mineiros pagam para ter luz em casa 40% a mais do que deveriam pagar. É ou não um absurdo?!

Virou rotina

Saindo fora deste assunto roubalheira do Estado em nosso bolso todos os meses, só com a conta de luz, as notícias da Lava Jato de ontem falavam que mais de 40 doleiros estavam sendo procurados. Quando se pensa que a coisa está acabando, a operação mais parece um polvo cujos tentáculos não param de aumentar, não somente de tamanho, mas também de quantidade. Esses doleiros pegavam os reais aqui e os transformavam em qualquer moeda no exterior, em nome de quem melhor os pagasse. Daí que esses políticos que estão sendo pegos com a calça nas mãos, estão cheios de dinheiro em algum lugar do mundo, onde é impossível alcançá-lo. Os doleiros continuam bancando tudo, pois sabem o número e a senha das contas lá no exterior. Receberão o dobro quando as coisas ficarem mais frouxas.

 

 

Comentários
×