Números mostram avanço do coronavírus em Divinópolis

Da Redação

A Vigilância em Saúde divulgou neste sábado, 2, um boletim epidemiológico com dados das últimas semanas epidemiológicas em Divinópolis. Segundo o relatório, entre os dias 5 e 11 de abril, a cidade tinha uma média de 2,8 pacientes com suspeita de coronavírus em Unidades de Tratamento Intensivo (UTI). Entre o dias 26 de abril e 2 maio, esse índice está em 13,8.

O mesmo parâmetro, desta vez para pacientes com suspeita de covid-19 no setor aberto dos quatro hospitais da cidade mais a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), aponta que, entre os dias 5 e 11 de abril, a média era de 8,7. O número está atualmente em 17. 

A Vigilância em Saúde, através do boletim, voltou a destacar que o monitoramento dos dados é feito diariamente.

— É possível notar o aumento da média do número de casos suspeitos de covid-19 internados nos hospitais de Divinópolis. Sabe-se que a doença avança no país e em nossa região. Junto a covid-19, o paí possui circulação de outras doenças virais nesta época de outono e inverno, como por exemplo, a influenza H1N1, rinovírus, entre outros. Importante ressaltar que a situação de internações nos hospitais do município está sendo monitorada diariamente — pontuou. 

Os leitos também têm, até o momento, sido suficientes para atender a demanda. Conforme os dados apresentados, desde 17 de abril, a ocupação das UTIs tem se mantido entre 42% e 50,5%.

— A partir do dia 13 de abril de 2020, a UPA Padre Roberto pôde contar com a abertura da Unidade de Campanha, aumentando o número de leitos para pacientes com quadro clínico de covid-19, passando a contabilizar 26 leitos de UTI para pacientes do SUS. Em 26 de abril o Hospital São Joao de Deus disponibilizou mais 20 leitos para atendimento de pacientes suspeitos de covid-19 na rede SUS. Desta forma o município passou a contar com 134 leitos de UTI, sendo 56 na assistência do SUS e 78 na assistência da saúde suplementar — explicou o setor.

Os indicadores também reforçam os comentários da autoridades do município de que a estrutura de saúde precisa levar em consideração o fato de Divinópolis ser polo regional e referência para as cidades vizinhas.

— A partir do dia 27 de abril de 2020 a ocupação dos leitos de UTI passou a ser mensurada separadamente, entre leitos de UTI na saúde suplementar e SUS. Nota-se que a ocupação dos leitos na saúde suplementar apresentam um aumento gradativo, com uma média de 40,7% neste período. Já a atenção ao SUS possui uma média de 54,3% de ocupação. Na rede SUS o município é referência para os municípios de Divinópolis, Araújos, Cajuru, Itapecerica, São Gonçalo, São Sebastião do Oeste e Perdigão, atendendo uma população de 351.000 habitantes. Na rede suplementar, os leitos podem ser ocupados por habitantes de municípios da região que possuem convênios com os hospitais particulares de Divinópolis — explicou.

Dados

A Secretaria Municipal de Sáude (Semusa) também divulgou neste sábado que do total de leitos de UTI disponíveis na cidade, 49,2% estão ocupados. Dezoito pessoas com quadro sintomático para a doenças estão internados nesses leitos e outros 15 pacientes recebem tratamento no setor de enfermaria.

Comentários
×