Novos leitos em hospital começam a receber pacientes da UPA

 

Gisele Souto

Pelo menos a metade dos leitos anunciados pela Prefeitura no Complexo de Saúde São João de Deus para pacientes de Divinópolis já estão ocupados. Aquisição foi feita pela Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), que pagará R$ 200 mil mensais ao hospital para internação exclusivamente de divinopolitanos.

A medida foi anunciada pelo secretário de Saúde, Amarildo Sousa, no dia 13 do mês passado, acompanhado do diretor técnico na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), Marco Aurélio Lobão, e da diretora de Urgência e Emergência da unidade, Cristiane Silva Joaquim. Na ocasião, foram anunciados 20 leitos e, destes, 14 já estão recebendo pacientes, desde sexta-feira da semana passada.

Vagas

Os leitos são custeados com recursos próprios da Prefeitura e as vagas disponibilizadas são para clínica médica e outras especialidades que, por sua vez, continuarão sendo atendidas pela Central de Regulação do Estado — ou por meio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) - Sala Vermelha.

Amarildo Sousa destacou que a necessidade de desafogar a UPA é urgente e estes novos leitos serão de grande importância para aliviar a saída de pacientes da unidade.

— Para que funcione da forma que planejamos, é fundamental que as pessoas sigam o protocolo. Ou seja, vão primeiro à unidade de saúde mais próxima e lá, se for constatada a necessidade, é encaminhada para UPA. Ir direto para lá sem necessidade é que é o problema — enfatizou.

Leitos

Divinópolis contava com 196 leitos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), exclusivamente no São João de Deus, mas para atender todos os municípios da Macrorregião, cerca de 50. Com os 20, passa a contar com 216, porém com 210 neste momento.

Segundo o secretário de Saúde, os outros seis devem ser liberados gradativamente. Em breve também, serão abertos mais dez leitos de UTI Adulto no hospital, totalizando, assim, 226 leitos via SUS.

Demanda é grande

Por ser a única porta de entrada pelo SUS, a demanda na UPA é muito grande.  A média de atendimento diário na unidade é de 380 pessoas por dia. É raro ter menos de 60 pacientes “internados”, com demanda das mais variadas especialidades por dia. A média à espera de vaga em CTI varia entre três e seis pessoas. Sem contar os que aguardam em casa por uma vaga para realizar cirurgias ortopédicas, por exemplo. Número que raramente é menor de 100. Justamente diminuir esse fluxo, a Semusa está arcando com os leitos. Porém, pelo menos por enquanto, a abertura de mais da metade deles não aliviou a demanda na unidade de saúde. De acordo com o diretor técnico da unidade, Marco Aurélio Lobão, a UPA continua sofrendo com o grande número de pacientes graves. Ele acredita que a melhora deve ocorrer aos poucos.

 

Comentários
×