Novos áudios levantam mais suspeitas sobre nomeação de ex-aliado de Galileu; OUÇA

Novos registros indicam possível tentativa de calar Marcelo Marreco com cargo

Pollyanna Martins
Ricardo Welbert

Marcelo Máximo de Morais Fernandes, ex-aliado do prefeito Galileu Machado (MDB), conhecido como Marcelo Marreco, procurou o Agora nesta quarta-feira, 25, com novas gravações de supostas ligações telefônicas que mostram parte do processo da tentativa de sua nomeação à Prefeitura de Divinópolis. Marcelo entregou o que afirmou ser uma cópia de gravação telefônica aos vereadores Edson Sousa, Adair Otaviano e Delano Santiago (todos também do MDB) na reunião ordinária de terça-feira, 24.

Na ligação repassada à Câmara, aparentemente o prefeito diz a Marcelo que “semana que vem deve ir” e que “o negócio é difícil demais”, sem especificar o quê.

— Não tem tempo de arrumar não, sabe Marcelo? Cê tá lá trabalhando e é só gente, gente, gente, mas eu já combinei com o Kaboja [vereador Rodrigo Kaboja (PSD)] e semana que vem vai. Você vai trabalhar lá dentro — afirma.

A voz que seria de Galileu pergunta ainda ao ex-aliado em quê ele trabalha e a resposta é a de que atua no ramo da construção civil.

— Mas você vai ficar na coordenadoria, um trem assim, não vai trabalhar não.

A voz atribuída ao prefeito diz ainda a Marcelo que ele poderia ficar despreocupado, que na hora em que aprovasse o “negócio”, o lugar dele já estaria reservado. 

Novas gravações 

Nas três novas gravações telefônicas entregues ontem ao Agora, supostamente o editor do blog “Divinews”, Geraldo Passos, lhe fala que tomou a liberdade de “falar com o povo lá”.

— Aí falei com eles: ‘Marcelo vai arrasar com vocês, se vocês não derem um jeito’. Aí sabe o que eles fizeram? Arrumaram uma nomeação para você. Arrumaram a nomeação, está com o decreto pronto, tá? — diz.

Ouça a íntegra da gravação

Na suposta conversa entre Marcelo e Geraldo, o editor do “Divinews” garante ainda ao ex-aliado do prefeito que sua nomeação está pronta e informa que o ex-assessor especial de governo, Fausto Barros, iria procurá-lo naquele dia, junto com alguém do secretário municipal de Governo, Roberto Antônio Ribeiro Chaves.

Fausto Barros também é citado na suposta conversa que Marcelo teve com o prefeito. Na gravação, Galileu diz ao ex-aliado que o ex-assessor especial de governo queria falar com ele.

A voz atribuída a Geraldo Passos confirma em outra gravação:

— Parece que o Fausto vai te procurar hoje. O Fausto e não sei quem aí do Roberto, que é o secretário [...] Eu detonei eles. Você sabe como é que eu faço, né? Eu arrebentei com eles. Aí eles estão para te procurar hoje ainda, te falando do cargo e publicando no ‘Diário Oficial’, quê que cê acha? – questiona. 

Barros 

Fausto Barros foi afastado do cargo após denúncia do Ministério Público mineiro no dia 13 de junho de 2017, quando foi preso em flagrante por posse ilegal de arma. O ex-assessor especial de Governo é investigado ainda por falsidade ideológica e coação no curso do inquérito. Fausto pagou uma fiança de R$ 10 mil e foi liberado no mesmo dia da prisão.

Na época da prisão de Fausto, o promotor de Justiça e Defesa do Patrimônio Público de Divinópolis, Gilberto Osório, pediu também o afastamento do assessor especial do governo do cargo, a proibição de ele frequentar a Prefeitura ou outro órgão municipal e a sua prisão preventiva. O promotor informou em junho que a prisão preventiva de Fausto Barros não havia sido decretada, pois o juiz havia entendido que a determinação do afastamento seria suficiente.

Decreto 

Durante a suposta ligação entre Marcelo Marreco e Geraldo Passos, o editor do “Divinews” pede ao ex-aliado de Galileu para ser “pragmático” e pergunta o quê que adianta.

— Aí você vai e detona os caras, tá bom. Aí você perde um cargo, perde dinheiro, você precisando de grana, sabe? Aí você vai ser herói de quem, Marcelo?

O editor do “Divinews” argumenta ainda que Marcelo sabe como política funciona melhor do que ele e que só tem uma linguagem que político entende: “porrada”.

— Oh Marcelo, mas cê sabe como que política funciona, mais do que eu. Pô, esses caras. Só tem uma linguagem. Você deveria ter feito isso lá atrás. Só tem uma linguagem que político entende, que é porrada. Infelizmente eles só entendem isso — alega.

Marcelo supostamente argumenta com Geraldo que não iria querer mais, porque “o trem já está nas mãos dos vereadores lá, da oposição. O trem vai estourar tudo amanhã”.

Na suposta ligação, Geraldo reforça com Marcelo que Fausto Barros iria procurá-lo já com a portaria de sua nomeação assinada. O editor do “Divinews” afirma ainda que a nomeação seria publicada no dia seguinte no “Diário Oficial dos Municípios Mineiros”.

Durante a reunião ordinária de terça, o ex-aliado de Galileu entregou, além da gravação da suposta ligação entre ele e o prefeito, uma cópia do decreto 12.914, onde ele é nomeado para o cargo de coordenador de Abastecimento e Segurança Alimentar na Secretaria de Agronegócios. O decreto entraria em vigor a partir de segunda-feira, 23, após ser publicado no mesmo “Diário Oficial”. Porém, a norma não chegou a ser veiculada.

— Vamos ver se o Fausto me procura mesmo. Vamos esperar para ver — diz Marcelo.

— Vai procurar. Já me falaram. Ele está com a portaria assinada, entendeu? Para publicar amanhã. Vai publicar amanhã de manhã — afirma Geraldo. 

Procura 

Durante o suposto diálogo, o ex-aliado de Galileu critica ainda a nomeação do ex-vereador Edimar Rodrigues. Marcelo diz ao editor do “Divinews” que esperaria para ver o que o ex-assessor especial de governo iria oferecê-lo e que iria esperá-lo para conversar com ele.

— Então vamos esperar para ver o quê que o Fausto oferece. Vou conversar com ele. Vou esperar ele vir então para a gente conversar, né?

Ao final da suposta ligação, Geraldo garante que Fausto Barros iria procurá-lo. O editor do “Divinews” afirma ainda que “fez para ajudá-lo”.

— Eu fiz para te ajudar, cara. Para mim, não fede e nem cheira. A minha mulher está lá, sabe? Não muda nada, entendeu? — afirma.

Ao desligar o telefone, é possível ouvir uma pessoa conversando com o ex-aliado do prefeito. O homem pergunta se Marcelo iria voltar atrás, ao que ele responde:

— Eu não volto atrás, não! Eu sou homem! Não sou boneco, não.

O salário 

Em uma suposta segunda ligação, Geraldo Passos informa a Marcelo que o seu salário seria de R$ 2,6 mil mais vantagens. O editor do “Divinews” diz ainda ao ex-aliado de Galileu que eles poderiam “armar” para supostamente não usar a Tribuna Livre da Câmara na terça.

— Aí você pode falar que estava comigo. Aí você fala: ‘Pô, o carro quebrou’. A gente volta mais tarde, porque eu quero gravar aquele negócio lá do festival lá. Aí você fala: ‘Oh, o Geraldo me chamou’. Aí você pode jogar a culpa pra mim: ‘O Geraldo me chamou’, entendeu? A gente arruma um negócio, entendeu? 

Ouça a íntegra da gravação

Segredo

Em uma suposta terceira ligação, o editor do “Divinews” pede que Marcelo não comente sobre o teor das outras ligações com ninguém e que tudo fique guardado a sete chaves entre os dois.

— Posso confiar em você? — pergunta Geraldo.

— Pode, uai — afirma Marcelo.

Ouça a íntegra da gravação

O que diz Fausto Barros 

Ao Agora, o ex-assessor especial de governo negou qualquer envolvimento na suposta nomeação de Marcelo Marreco. Fausto disse que as informações são inverídicas, que não havia procurado ninguém e que não tinha nada a ver com o caso.

— Não estou pactuado. Não tenho nada a ver com este assunto. Tenho certeza de que quem denunciou, quem está falando, sabe que eu não participei. Fui procurado pelo senhor Marcelo, mas não tenho nada. Não levei decreto, não levei nada — afirma. 

O que diz Geraldo Passos 

— É importante destacar o papel que exerço de jornalista e articulista político em Divinópolis e na região. Assim, no exercício dessas atividades, converso com vários segmentos locais e tenho acesso a informações do cenário local, muitas delas antes mesmo que tenham sido efetivadas. Tal condição conquistei graças ao respeito conquistado junto às fontes.

Como jornalista, não tenho nenhuma participação na nomeação de ninguém. Tal função só é exercida por quem de direito para fazê-lo. Porém, como cidadão, tenho como princípio ajudar as pessoas e, se estiver ao meu alcance, gostaria muito de ajudar, desde que a pessoa tenha capacidade para exercer qualquer cargo, na esfera pública ou na iniciativa privada.

Qualquer detalhe sobre qualquer cargo é público, está disponível no “Portal da Transparência”. Cabe ao jornalista buscar as informações. E ainda: como jornalista, recebi do senhor Marcelo um convite para cobrir a reunião da Câmara. Assim como recebo diariamente convites para cobrir vários outros eventos. Sempre procuro preparar minhas pautas. E, nesse contexto, conversamos sobre a necessidade ou não de se abordar tal assunto.

Sobre a participação de Fausto Barros ou de qualquer outra pessoa, não houve qualquer ingerência neste sentido, uma vez que o mesmo, atualmente, não faz parte do governo e seu nome somente foi mencionado como maneira de dar mais segurança ao Marcelo com relação à nomeação que poderia vir. Fato esse que poderá ser comprovado pelo próprio Marreco, pois ele mesmo informou-me que não recebeu nenhuma ligação de qualquer membro do governo para tratar da sua nomeação ou qualquer outro assunto. Logo, tudo o que sei a respeito do fato foi obtido através de serviço de investigação jornalística, como é natural em pauta de jornalismo político.

Leia também

Galileu deu cargo e disse para não trabalhar, acusa ex-aliado do prefeito; ÁUDIO

Comentários
×