Novo round

Novo round 

A aprovação do projeto na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) que liberou os recursos da indenização da Vale mal passou e uma nova queda de braços entre o governador Romeu Zema (Novo) e alguns deputados promete render. Para quem não se lembra do caso da Vale, Zema foi obrigado a ceder aos caprichos de um grupo opositor para destravar proposta do governo na Casa. Agora, a situação parece seguir o mesmo caminho. O assunto da vez é o reajuste dos servidores da segurança pública. Apoiada especialmente pelo deputado Coronel Sandro (PSL), a categoria não abre mão do benefício. Por outro lado, o governador condiciona a concessão à aprovação do Regime de Recuperação Fiscal (RRF), texto que tramita na ALMG. Igualzinho à situação anterior, mas pode ser até pior, afinal, 2022 se aproxima, assim como as eleições e, adivinha: dá-lhe pressão, necessidade de mostrar serviço e perseguição.  Vale tudo neste jogo que só tem um perdedor: o povo.  

Já começou 

E os atos, itens previstos na disputa, devem marcar o percurso previsto nesta batalha. Servidores protestaram ontem pela manhã na Cidade Administrativa. O grupo cobra o pagamento de duas parcelas da recomposição salarial das perdas inflacionárias de 41,7% prometidas pelo atual governo em 2019 para serem pagas em três vezes. Porém, o Executivo estadual sancionou, em 2020, apenas 13% do valor. O objetivo, conforme disseram organizadores, foi mostrar a revolta da categoria com o não pagamento de duas parcelas restantes de 12%, inicialmente previstas para serem pagas no mês de setembro de 2021 e 2022. Ao condicionar a aprovação do RRF pela Casa, Romeu Zema disse que alguns deputados trabalham contra o governo. Visto o que aconteceu com a imposição para se aprovar o projeto que liberou os recursos da Vale, ele não deixa de ter razão. E é mais do que natural para as oposições, existentes em qualquer governo. É saudável, lógico, afinal, é para isso que serve a democracia. O problema é que, no Brasil, as casas legislativas utilizam-se dessa prerrogativa não para se opor contra algo ou ato do governante que não concordam, visam apenas seus interesses. E é a população que sempre leva o “chumbo na asa”. Mais lamentável ainda é que ela não percebe isso, e o jogo segue sem nenhuma interferência. Haja caixas de chumbo. 

De bike ou a pé?

Como melhor convier a quem for deixar o carro na garagem devido a um novo aumento no preço dos combustíveis. O consumidor que já anda traumatizado   com um aumento atrás do outro, incluindo aí os produtos alimentícios, teve mais uma péssima notícia na manhã de ontem. Os combustíveis vão subir de novo. A gasolina 7% mais cara e diesel 9%, em vigor já a partir de hoje. O sétimo aumento do ano, o segundo, somente em outubro. Como de praxe, os novos valores fazem parte de reflexos na elevação nos patamares internacionais e visam garantir que o mercado siga sendo suprido em bases econômicas, evitando possíveis riscos de desabastecimento. Até parece frase decorada. Ainda bem que, pelo menos em Minas Gerais, o novo reajuste já está inserido no congelamento do valor de referência do Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviço (ICMS) sobre o combustível em Minas, anunciado pelo governador, Romeu Zema (Novo), que logo depois falou em redução do imposto. Para os caminhoneiros e quem usa esse combustível será menos afetado com a nova alta, aos outros, resta a bicicleta ou andar a pé. A seguir neste ritmo, não demora e as pistas de bike estarão mais em evidência  para construir ou reformar do que as ruas. 

'Para quem é líder'

Os atleticanos, que já estavam felizes da vida, com mais uma vitória no Campeonato Brasileiro e o título cada vez mais próximo, amanheceram ainda mais deslumbrados ontem. O perfil oficial do Bayern de Munique mencionou o Galo em uma postagem feita no Facebook, na noite de domingo. O gigante do futebol alemão, um dos principais do futebol da Europa, escreveu na legenda: "Bom fim de domingo pra quem é líder, certo Clube Atlético Mineiro?". Em pouco tempo, os alvinegros invadiram a página e escreveram centenas de comentários. 

Por aqui, o Atlético venceu o Cuiabá e chegou a 59 pontos, 11 a mais do que o segundo Fortaleza e 13 de distância para o Flamengo, o terceiro. Lá, a Bundesliga está apenas na nona rodada, mas o Bayern tem um aproveitamento sensacional, soma 22 pontos, com sete vitórias, um empate e só uma derrota. Com vantagens robustas e atuações inquestionáveis, os torcedores dos dois times têm motivos de sobra não para sonhar apenas, mas para acreditar na conquista da taça. 

Comentários
×