Novembro Azul da UFSJ volta a enfatizar importância da prevenção

Da Redação

A campanha Novembro Azul da UFSJ destaca, nesta semana, as iniciativas que visam à prevenção ao câncer de próstata desenvolvidas pelo curso de Medicina do Campus Centro-Oeste Dona Lindu (CCO). Em parceria com a Associação do Combate ao Câncer do Centro-Oeste de Minas (Accom), ações de pesquisa, ensino e extensão são realizadas, tendo como foco a promoção da saúde e o acesso a informações sobre a doença. Em 2020, devido à pandemia, as atividades estão concentradas no Instagram da Associação

De acordo com o professor de Uro-oncologia do CCO, Denny Veloso, o trabalho conjunto com a Accom possibilita a atuação dinâmica dos estudantes nas práticas relacionadas ao combate ao câncer de próstata, como também a outros tipos da doença.

— Antes da covid-19, os alunos participavam ativamente da rotina da Accom, por meio de atendimento ambulatorial, projetos de conscientização da comunidade e desenvolvimento de pesquisas — afirmou.  

Entre os resultados alcançados, está levantamento que mostrou que a falta de prevenção é o principal problema enfrentado pelos pacientes.

— O preconceito vem diminuindo, mas ainda encontramos dificuldades de conscientizar os homens sobre a importância de procurar atendimento. A demora em buscar o diagnóstico influencia diretamente no tratamento — pontua o professor.  

Na área de pesquisa, alunos e professores do curso de Medicina da UFSJ buscam descobrir melhores técnicas cirúrgicas para o tratamento do câncer de próstata. Entre os trabalhos estudados estão a busca por técnicas de reconstrução que evitem a perda urinária e também maneiras de minimizar a disfunção erétil. 

Cuidados com a saúde

A busca por informação e pelo diagnóstico precoce é essencial devido ao fato de, na fase inicial, a doença não apresentar sintomas. Por isso, é fundamental que, a partir dos 50 anos, seja realizado o exame de toque retal e o exame de sangue PSA, anualmente. 

De acordo com o professor Denny Veloso, um caso de câncer de próstata é diagnosticado a cada sete minutos no país, totalizando 68 mil incidências por ano. Já em relação à mortalidade, um paciente morre a cada 34 minutos.

— Apesar de já termos identificado avanços na busca por prevenção, estatísticas como essas reforçam a necessidade de conscientizar as pessoas sobre a importância de realizar os exames frequentemente. A campanha Novembro Azul vem exatamente cumprir esse papel, de levar informação e reduzir e preconceito, com intuito de salvar vidas — conclui.  

Comentários
×