Novela Brigadeiro Cabral deve ter final feliz em 2020

 

Jorge Guimarães

O Aeroporto Brigadeiro Antônio Cabral é o mais importante da região Centro-Oeste de Minas, com pista de 1540 metros de comprimento e 30 de largura. Mas, mesmo com toda essa magnitude, o aeroporto só começou a operar com voos comerciais a partir da segunda metade dos anos 90, quando a empresa Rio Sul Serviços Aéreos Regionais fazia viagens semanais, ligando Divinópolis, Pouso Alegre e São Paulo, que perduraram até quase o início dos anos 2000.

Azul

Depois da saída da Rio Sul, muitos esforços foram feitos para que a cidade pólo do Centro- Oeste voltasse a ter voos comerciais, requisito básico para o desenvolvimento de toda a região. Assim, a Azul Linhas Aéreas começou a operar no Brigadeiro Cabral em 6 de julho de 2015, com cinco voos por semana, sem escalas, a partir de Campinas.

Voos suspensos

Mas, a partir daí, nem tudo foi um mar de rosas entre o Município e a empresa contratada para administrar o aeroporto, a Socicam Terminais de Passageiros. O resultado foi que em 30 de março de 2018 os voos da Azul foram suspensos no Brigadeiro Cabral, devido à saída da Socicam, o que ocorreu por conta de uma dívida de R$ 2,6 milhões que a Prefeitura teria com a empresa referente a um contrato de gestão passada.  O custo mensal para o Executivo era de R$ 168 mil. A quitação do débito seria fundamental para amenizar a situação. E, com a saída da Socicam, o Brigadeiro ficou desprovido dos equipamentos necessários para operação.

Instrumentos  

Depois de muitas reuniões, com idas e vindas a Brasília, o então secretário de Desenvolvimento Econômico, José Alonso Dias, com a ajuda do deputado federal Domingos Sávio (PSDB) conseguiu, em maio último, junto à Secretaria da Aviação Civil (SAC), equipamentos e ferramentas especiais para a instalação de uma estação meteorológica completa. Este foi o primeiro passo para que outras medidas fossem adotadas a partir daí.

Raio X

No começo de junho, o Brigadeiro Cabral recebeu o aparelho de raio x que vai operar no aeroporto, emprestado pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), substituído em setembro pelo oficial, enviado pela SAC. Logo depois, o Município oficializou o contrato de transição entre a Prefeitura e a Infraero, a qual passa a ser a gestora do aeroporto.

Resultados

E, depois de mais rodadas de reuniões, o fim de ano traz boas novas para Divinópolis. Representantes do Município participaram de um encontro, em Brasília, na última terça-feira, 17, para garantir a liberação do Aeroporto Brigadeiro Cabral para voos comerciais. O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Rafael Nogueira, e os assessores Especial e Executivo do Gabinete do Prefeito, José Alonso dia e Rodrigo Moura, respectivamente, junto com o deputado federal Domingos Sávio e representantes da Infraero se reuniram, com o comando da SAC, para a apresentação a entrega do plano de melhorias do Aeroporto Brigadeiro Cabral.

O documento prevê recursos da ordem de R$ 4,3 milhões em investimentos e foi pré-aprovado pela SAC, faltando apenas a homologação da área jurídica da Secretaria. A previsão é de que os documentos ratificando a parceira sejam assinados até o fim do mês de janeiro. Assim, a expectativa para a volta dos voos ainda no primeiro semestre de 2020 é grande.

 

Comentários
×