Nove candidatos disputam a Prefeitura

Partidos enfrentam agora trâmites burocráticos para regularizar nomeações na Justiça Eleitoral

Matheus Augusto 

As convenções partidárias foram finalizadas na última semana. Alguns optaram por formar alianças política, outros decidiram montar a chapa apenas com candidatos apenas do próprio partido. Na briga, homens, mulheres, juventude, experiência… Qual a melhor estratégia? Apenas 15 de novembro poderá dizer. Ao todo, nove candidatos devem disputar a Prefeitura de Divinópolis. 

Velho conhecido

Candidato em 2016, Marquinho Clementino (Republicanos) está de volta para disputar o mesmo cargo que perdeu para Galileu Machado (MDB). Ao seu lado, ele terá a companhia de Andreia Rabelo, do PDT.

Ambos os partidos aprovaram 26 nomes cada para a disputa de vereadores.

Novo conhecido

O Progressistas (PP) é outro que está na briga pela próxima administração. Will Bueno terá Douglas Maia como seu vice, ambos do mesmo partido ‒ que escolheu não disputar uma vaga na Câmara.

Esquerda unida

O Partido dos Trabalhadores também sonha com o cargo máximo do Executivo ‒ e com assentos no Legislativo: 21 nomes representarão a sigla. A tarefa será liderada pela Professora Maria Helena. A vice-liderança será tarefa de Camila Magalhães, do PC do B, que, em ata, definiu apenas um nome para o cargo de vereador.

Carnaval em novembro

Alguns candidatos já se conhecem de campanhas anteriores. Se Marquinho Clementino está de volta, Galileu também. O Movimento Democrático Brasileiro (MDB) aprovou a busca por reeleição. Como já era previsto, o atual vice, Rinaldo Valério (DC), após atritos durante a gestão, não foi o braço direito escolhido. Desta vez, o partido não optou por alianças externas e definiu Cléo, do Bloco do Cléo, para o posto. A sigla também deve ter cerca de 20 candidatos a vereador.

Da renúncia ao anúncio

Um passo acima. Após deixar a Câmara, o ex-vereador Sargento Elton (Patriota) agora busca ser prefeito. Seu partido aprovou sua nomeação. A união de forças foi feita com o Partido Social Liberal (PSL), que indicou o empresário Fernando Malta para vice.

Ambos os partidos escolheram 26 nomes cada para vereador.

Azevedos

Apesar de cogitado no início das prévias, o deputado estadual Cleitinho Azevedo (CDN) não disputará a Prefeitura neste ano. Um de seus irmãos sim. Gleidson Azevedo lidera a chapa formada com a atual vereadora Janete Aparecida, ambos do Partido Social Cristão (PSC). Durante a convenção, 26 nomes para vereador foram aprovados.

De vice a líder

Há poucos dias, Jaime Martins (DEM) estava na corrida eleitoral para prefeito, com Fabiano Tolentino (CDN) como seu vice. O cenário rapidamente se inverteu. Agora, é Tolentino quem lidera a chapa, que tem Jaime como vice.

O Cidadania definiu 23 candidatos a vereador. O Democratas ainda não divulgou tal informação.

Empresária

O Partido Social Democrático (PSD) também optou por uma chapa unipartidária, comandada pela empresária Iris Moreira. Seu vice será Valdir Brandão. A sigla ainda definiu 22 nomes para a disputa no Legislativo.

Aliança feminina

Além de uma chapa unipartidária, o Solidariedade optou por uma composição totalmente feminina. A presidente Laiz Soares concorrerá à Prefeitura com Giovana Garrôcho, sua vice. O partido terá apenas cinco candidatos a vereador.

Sonhos mais baixos

Os demais partidos ou definiram apoio a algum dos candidatos acima ou decidiram se abdicar da disputa pelo Executivo, mas buscam uma vaga na Câmara. São eles: Partido Liberal (PL), com 16 candidatos a vereador; Partido Socialista Brasileiro (PSB), com 20; Partido Verde (PV), 26; Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), 26; e Avante, 18.

O Partido Republicano da Ordem Social (Pros), a exemplo do PP, não está na disputa pela Casa Legislativa.

 

Comentários
×