Nova Serrana: PCMG indicia dono de fábrica por mortes em incêndio

Da Redação

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) concluiu o inquérito policial sobre o incêndio ocorrido em uma fábrica de calçados na cidade de Nova Serrana, região Centro-Oeste, com indiciamento do proprietário por homicídio culposo. Os fatos ocorreram em 16 de junho deste ano e resultaram na morte de três pessoas, sendo dois funcionários. A terceira vítima era amiga de um dos trabalhadores mortos.

De acordo com as investigações, o estabelecimento atuava de forma irregular, sem os alvarás de funcionamento exigidos pela Prefeitura e pelo Corpo de Bombeiros. Os dois funcionários foram contratados informalmente. O laudo pericial constatou, ainda, que o local não era adequado para o desempenho das atividades.

Outra verificação da perícia é que o incêndio foi ocasionado "por aproximação de elemento em combustão deixado em material combustível presente na região do foco inicial". Duas das vítimas morreram carbonizadas e a terceira veio a óbito, posteriormente, em função das graves queimaduras.

De acordo com a delegada responsável pelo inquérito policial, Karine Tassara Fernandes, o proprietário da fábrica foi indiciado por homicídio culposo (quando não há a intenção de matar). A PCMG também apura, em outro procedimento, suposta falsificação de calçados por parte da empresa.

Comentários
×