Nova sede do Samu em Divinópolis é inaugurada

Secretário executivo reforça que o atendimento à população não sofrerá alterações.

Da Redação

O CIS-URG Oeste inaugurou na manhã desta segunda-feira, 2 de agosto, a Base Descentralizada do Samu em Divinópolis. A base, que antes era localizada na sede do consórcio, agora está na avenida Getúlio Vargas, N° 440, centro. De acordo com o secretário executivo do CIS-URG Oeste, José Marcio Zanardi, a mudança foi feita para um local que é mais adequado, devido ao crescimento do consórcio nos últimos anos.

— O nosso intuito é trazer melhores condições de sanitárias e diminuir o fluxo de pessoas na sede do Consórcio. Hoje, juntando todas as bases, o número de funcionários da assistência à população chega a 420, e nós temos uma movimentação intensa de colaboradores, a nível de RH, treinamentos, processos seletivos, além do atendimento ao público, que chega a todo momento em busca de documentos ou o relatório de quando foi atendido pelo Samu — explica.

O secretário executivo reforça ainda que o atendimento à população não sofrerá alterações com a mudança da base. Segundo José Marcio, na nova Base Descentralizada ficará uma Unidade de Suporte Avançado (USA) e duas Unidades de Suporte Básico (USBs).

— Não haverá nenhum tipo de interrupção no atendimento à população, muito pelo contrário, pois o colaborador sendo instalado no local adequado, humanizado, vai poder prestar um serviço melhor, e é isso que nós buscamos sempre para o povo do centro-oeste mineiro — destaca.

Melhorias e crescimento

Prefeito de Bambuí e presidente do CIS-URG Oeste, Olívio Teixeira enfatiza que a inauguração da Base Descentralizada de Divinópolis é um marco para o Samu Oeste, uma vez que o Serviço vem crescendo em toda região.

— Nós estamos inaugurando a nossa segunda Base Descentralizada, só este ano, para melhor acomodação dos funcionários da assistência. A primeira foi em abril, em Santo Antônio do Amparo e nos próximos dias vamos inaugurar a terceira, em Cristais, ampliando o atendimento à população. Com certeza essa expansão é um ganho em qualidade, tanto para os nossos colaboradores quanto para a população em geral. O Samu é uma das entidades mais respeitadas que existe no momento e sem sombra de dúvidas todos agradecem e aplaudem o Serviço — ressalta.

Executivo Municipal

Desde sua inauguração, no dia 7 de junho de 2017, o Samu já atendeu mais de 967 mil ligações em todo centro-oeste mineiro e Divinópolis representa 30% destas chamadas. O prefeito de Divinópolis, Gleidson Azevedo (PSC), frisa que o Serviço transformou a rede de urgência e emergência e parabeniza a sua gestão.

— Eu só tenho a agradecer e dar os parabéns para a equipe do Samu, especialmente ao secretário executivo, José Marcio, que até em seu discurso, disse que durante esse período de atuação do Serviço já foram de atendidas 900 mil ligações, então quer dizer, quantas vidas já foram salvas pelo Samu. Quem dera se todos os órgãos da saúde fossem gerenciados pelo CIS-URG Oeste, eu tenho certeza que o atendimento seria muito melhor — ressalta.

A vice-prefeita de Divinópolis, Janete Aparecida (PSC) emenda as palavras do prefeito e destaca os benefícios trazidos pelo serviço para Divinópolis e toda região.

— Nós só temos a agradecer essa parceria que o Samu tem conosco diariamente. O nosso desejo é que o Serviço possa crescer cada vez mais, pois isso é mais qualidade na saúde pública do divinopolitano. É o Samu atuando com agilidade, com excelência, de canto a canto da nossa cidade, como faz sempre — enfatiza.

Economia

Além do atendimento pré-hospitalar, o Samu realiza também as transferências inter-hospitalares. O deputado federal, Domingos Sávio (PSDB), ressalta que este serviço trouxe economia para os 53 municípios do centro-oeste. O Samu já realizou mais de 22.500 transferências inter-hospitalares em toda região oeste desde o início de seu funcionamento.

— Com o Samu, hoje as prefeituras não precisam pagar por ele como era feito antes. O valor repassado mensalmente pelas prefeituras, que somado ao dinheiro que vem do Governo do Estado e ao do Ministério da Saúde, é mantido não somente o atendimento pré-hospitalar, como também as transferências inter-hospitalares, que gerava um custo muito alto para os municípios. Com o Samu esse gasto reduziu significativamente — conclui.

Comentários
×