Nova empresa de coleta já está na cidade

 

Da Redação

Depois do prefeito Galileu Machado (MDB) prometer, no último dia de 2018, romper o contrato com a empresa encarregada pela coleta de lixo na cidade, a decisão foi oficializada hoje, 3. Publicada em primeira mão pelo Jornal Agora, a empresa Arbor, no município desde 2016, teve suas atividades encerradas em Divinópolis. A segunda colocada do processo de licitação, a Biostec Ambiental, responsável pela coleta em Belo Horizonte, já foi convocada pela Prefeitura para assumir as atividades na cidade, iniciadas ontem.

Segundo informa a Prefeitura, a nova empresa, a Biostec, já se estabeleceu na cidade e seus caminhões iniciaram o serviço de recolhimento de lixo ainda na noite de ontem. Ainda não foi informado quantos caminhões vieram para Divinópolis e se todos estão nas ruas, nem a situação dos funcionários ligados a Arbor.

O caso

Foram duas quebras de contrato anunciadas: a primeira no dia 19 de dezembro e a segunda na virada do ano. Após o primeiro anúncio, no dia seguinte, a Prefeitura e a empresa responsável pela coleta de lixo, a Arbor, entram em acordo para continuar as atividades até o fim do contrato (maio de 2019). Já a segunda quebra foi definitiva. Publicada hoje, 3, no Diário Oficial dos Municípios Mineiros, a Arbor se despede das atividades após não arcar com suas responsabilidades trabalhistas internas e lidar com a demanda de 155 toneladas de lixo produzidas diariamente por Divinópolis.

No último dia de 2018, em entrevista coletiva, o prefeito Galileu Machado (MDB) anunciou o rompimento do contrato com a empresa Arbor. A expectativa foi conduzida com um pé atrás. Na última vez que o mesmo foi dito, a Prefeitura voltou atrás e a empresa continuou exercendo suas atividades no município. Desta vez a sentença é definitiva: a Arbor, desde 2016 na cidade, não é mais responsável pelo serviço de coleta de lixo.

Dívidas

A empresa, sem pagar seus funcionários o 13° salário e vale transporte referente ao mês de dezembro, enfrentou uma paralisação. A Arbor não quitava suas dívidas com os trabalhadores e o lixo se acumulava nas vias. Após o acordo com a Prefeitura, foi realizado um mutirão no dia 23 do último mês para normalizar o serviço de coleta na cidade. Apenas promessa. Moradores voltaram a relatar o acúmulo de sujeira em diversos bairros, como Halim Souki, Rancho Alegre, Manoel Valinhas, Afonso Pena, Sidil, entre outros. Mais cinco dias pediu a empresa, após receber a visita da Vigilância de Saúde. O serviço continuou irregular e a empresa teve, finalmente, seu contrato quebrado.

Dias antes

Em nota, antes de saber da publicação da quebra de contrato, a Arbor comentou sobre a fala do prefeito em romper com a empresa, reforçando seus esforços em prol de Divinópolis.

—A situação está muito próxima de entrar na normalidade. Registramos que nesses últimos dias foram coletadas cerca de 430 toneladas a mais de lixo do que normalmente, evidenciando, com isso, que os serviços estão sendo feitos dentro das regras estabelecidas.

A Arbor ainda ressaltou que havia aumentado o número de caminhões na rua durante o período da manhã e da noite. E disse que a maior produção de lixo devido as comemoração de fim de ano foi um obstáculo para colocar o serviço em dia.

O serviço de coleta virou uma bola de neve, prejudicando os moradores e os funcionários da empresa, em situação precária. Espera-se que a nova empresa normalize a coleta na cidade e honre seus compromissos com os funcionários e com Divinópolis.

Comentários
×