Nova administração recupera imagem e caixa do Divinópolis Clube

Da Redação

Por quase doze anos, o caixa do Divinópolis Clube foi sucateado. Ou seja, a tarefa da nova administração, que assumiu em 2018, não era fácil, sendo preciso equilibrar os gastos com as necessidades de melhoria e ampliação do clube. E, até o momento, as dificuldades têm sido superadas pelo atual presidente, Mauro Célio de Melo Júnior. Eliminando o déficit, a gestão já conseguiu investir cerca de R$ 5 milhões.

— Traduzindo em números, a atual gestão partiu de um déficit significativo (aproximadamente R$ 800 mil), e já no quarto mês de gestão foi totalmente equacionado e, a partir daí, deu início a uma dinâmica de investimentos ininterrupta da ordem de R$ 5 milhões nestes dois anos de administração — informou o clube.

E o intuito é dar continuidade a esse processo de melhoria do espaço de lazer dos associados.

— Os próximos dois anos serão ainda mais promissores, sendo previsto no plano orçamentário para 2020/2021 a reforma da portaria, a construção de mais dois campos de futebol, de mais três quadras de tênis, duas de futevôlei, uma pista para caminhada, mais 500 vagas de estacionamento, a construção de toda a infraestrutura para tratamento de efluentes e convivência harmoniosa com o rio Itapecerica e respectivas APP’s (Plano de Sustentabilidade Ambiental), substituição de todo o piso da área das piscinas, reforma na sede urbana no tocante à acessibilidade, com instalação de elevadores, e, para finalizar, mais um parque aquático, desta vez para os adolescentes e adultos. Com tais objetivos atingidos, o DC será o melhor espaço de lazer, esportes e cultura de toda a região e uma referência em Minas Gerais — informou a instituição.

Responsabilidade

A primeira atitude da nova gestão foi a realização de uma auditoria, responsável por apontar indícios de irregularidades no caixa do clube. As suspeitas foram encaminhadas à Polícia Civil (PC), que deu início às investigações. Os resultados da operação, divulgados na última sexta-feira, 10, pela delegada de Estelionato, Adriene Lopes, apontam o desvio de quase R$ 1 milhão do caixa da instituição para contas particulares do ex-presidente, Simonides Quadros, e sua filha. Ambos negam as acusações.

Os números podem ser ainda maiores, pois, conforme detalhou a responsável pelo caso, na próxima etapa serão investigadas as suspeitas de superfaturamento em obras e shows realizados durante a última administração.

Com o déficit encontrado, ao assumir o Divinópolis Clube, o atual presidente, Mauro Célio de Melo Júnior, deu início ao processo de recuperação das contas financeiras. 

— Ao completar apenas dois anos de gestão, o timoneiro do DC, Mauro Célio de Melo Júnior, que assumiu com um déficit gigantesco, aponta o caminho a ser trilhado não só por seus congêneres, mas por qualquer empresa de pequeno e médio porte. Além de quitar a dívida (correspondente à época a dois meses de receita), após uma administração desastrosa e marcada por várias irregularidades e desvios recentemente confirmados por conclusão de inquérito policial, reverteu todo o prejuízo, e, já no mês de abril de 2018, apresentava superávit — relatou o clube.

Além da recuperação fiscal, a instituição trabalhou para reerguer sua imagem e confiança diante dos associados, apresentando um modelo de gestão sustentável e com investimentos responsáveis, dentro da realidade do clube.

— A imagem do Divinópolis Clube deu uma guinada de 180 graus, saindo de uma gestão duramente questionada por desvios (comprovados por uma minuciosa investigação policial já concluída e encaminhada à Justiça) para uma gestão transparente, honesta e comprometida com a qualidade dos serviços colocados à disposição de todos seus sócios, associados e dependentes, sendo considerada a melhor expressão de entretenimento, esporte e cultura no Centro-Oeste mineiro e ambiciona ser referência também em todo o território mineiro — explicou a entidade.

Superado o déficit ainda em seu primeiro ano como presidente, Mauro Célio voltou a investir no Divinópolis Clube.

— Com as contas equilibradas e com as sobras de caixa, a partir de então, [o clube] adquiriu um lote de 50.000 m² (por R$ 1,7 milhão); foram edificadas duas novas quadras de areia; uma nova sauna; um novo restaurante; um Centro de Atividades Físicas e de Saúde, contemplando uma nova academia de musculação, um estúdio de pilates e um estúdio de danças; troca de todos os aparelhos da academia da sede urbana, bem como sua reforma e climatização; aquisição de climatizadores e plataformas elevatórias para o novo restaurante e a academia da sede campestre; substituição das lâmpadas convencionais por lâmpadas de LED nas quadras de tênis, de peteca, de futsal, e de um campo de futebol; reforma das bordas das duas piscinas grandes e reforma completa da piscina infantil, bem como a substituição da “baleinha” pelo Pelicano; substituição do antigo toboágua por um novo; edificação de mais cinco churrasqueiras, aquisição de um novo brinquedão; implantação do videomonitoramento na sede campestre; reforma do telhado na sede urbana; substituição dos dois antigos softwares por um novo, mais eficiente, confiável e moderno; renovação de nosso parque de informática; construção do muro no novo lote; reestrututração do quadro de funcionários, dentre outras tantas realizações, mas aquela realmente mais significativa (não a mais cara) foi o Parque Aquático Infantil (um investimento de R$ 1.150.000,00), além da nova piscina semiolímpica, que encontra-se em fase final de conclusão — detalhou.

Atualmente, o Divinópolis Clube é a opção certa de lazer para milhares de famílias da cidade.

— Abrigando em seu quadro social aproximadamente 5% da população divinopolitana (com 11,5 mil associados e respectivos dependentes), o Divinópolis Clube, com 81 anos de existência, revela o modelo de gestão que realmente gera resultados, com uma administração enxuta, eficiente e calcada num planejamento estratégico, tendo como valores básicos a transparência, a honestidade e o compromisso com o associado — finaliza o Divinópolis Clube.

Comentários
×