Nomes tarimbados ficam de fora e Câmara terá nove estreantes em 2021

Eleição promoveu renovação de mais de 50% entre os vereadores

Paulo Vitor Souza

Figuras políticas importantes estão de fora da 25ª Legislatura da Câmara Municipal de Divinópolis. A eleição do último domingo, 15, pôs fim ao mandato não só de Galileu Machado à frente da Prefeitura, mas de vereadores com história dentro da Câmara.

Com uma renovação de 52,3% no Legislativo, a cidade conheceu ontem os nove vereadores que vão estrear uma cadeira no legislativo municipal.

Com uma campanha atípica por causa da pandemia, alguns nomes confirmaram o favoritismo e se destacaram no número de votos, como Lohanna França (CDN) e Eduardo Azevedo (PSC), ambos eleitos pela primeira vez. Outros nomes surpreenderam, como é o caso de Diego Espino Foods (PSL).

De fora

As reuniões ordinárias não contarão, a partir de 2021, com os discursos emblemáticos de Delano Santiago (MDB). O atual vereador, que obteve 1.643 votos, está fora da composição do Legislativo para o ano que vem. Na disputa interna do partido, Delano somou menos votos que Ademir Silva e Hilton de Aguiar, perdendo sua cadeira.

Outro nome de peso que não conseguiu votos suficientes é Marcos Vinícius (DEM). Somando 1.516 votos, o atual vereador tropeçou no quociente partidário da sigla e também está fora.

Um dos campeões em número de mandatos na Câmara, o vereador Adair Otaviano, também perdeu apoio. O vereador do MDB, que estava em busca do sexto mandato, obteve 1.442 votos e não foi eleito.

Renato Ferreira (PSDB) teve 862 votos e não conseguiu a reeleição, assim como Carlos Eduardo Magalhães (Republicanos), que assumiu a cadeira deixada por Sargento Elton no início do ano.  Carlos Eduardo obteve 732 votos. Outros nomes fora são os vereadores Nego do Buriti (PSB), com 531 votos, e Raimundo Nonato (Avante) com 641 votos, além de Cézar Tarzan (PSDB), com 1.046 votos.

Continuam

Apenas seis atuais vereadores renovaram a estadia na Câmara para os próximos quatro anos. Com queda no número de votos em relação a 2016, Josafá Anderson (CDN) estará na próxima legislatura, assim como seu correligionário de sigla, Edsom Sousa, que também perdeu apoio se comparado ao total de votos na eleição de 2016.

Quem também emplacou mais uma vitória foi Eduardo Print Jr. (PSDB), com 1.617 votos. O atual presidente da Casa Legislativa também estará presente nas reuniões da próxima legislatura. Rodrigo Kaboja (PSD) assegurou seu assento com 1.532 votos recebidos. Ademir Silva e Roger Viegas também venceram com 1.922 e 2.453 votos, respectivamente. 

Estreiam 

Com o retorno de dois ex-vereadores, a composição da Câmara terá 11 partidos representados. Cinco legendas ausentes na atual legislatura ganharam cadeiras, são elas: PSC, PV, PDT, Patriota e PSL. A sigla com a maior bancada agora é o Cidadania, com três vereadores. Na sequência, com dois eleitos cada, estão PSC, MDB, Republicanos e PV. 

Veja como fica a composição para o mandato 2021/2024: 

1) Lohanna França (Cidadania): 5.462 votos;

2) Eduardo Azevedo (PSC): 4.249 votos;

3) Josafá (Cidadania): 2.551 votos;

4) Roger Viegas (Republicanos): 3.453 votos;

5) Ademir (MDB): 1.922 votos;

6) Zé Braz (PV): 1.871 votos;

7) Hilton de Aguiar (MDB) : 1.648 votos;

8) Wesley Jarbas (Republicanos): 1.638 votos;

9) Eduardo Print Júnior (PSDB): 1.617 votos;

10) Kaboja (PSD): 1.532 votos;

11) Rodyson do Zé Milton (PV): 1.380 votos;

12) Israel da Farmácia (PDT): 1.373 votos;

13) Edson Sousa (Cidadania): 1.150 votos;

14) Flávio Marra (Patriota): 1.138 votos;

15) Ney Burguer (PSB): 1.121 votos;

16  Ana Paula Quintino (PSC): 957 votos;

17) Diego Espino Foods (PSL): 866 votos.

Comentários
×