Ninguém aguenta mais

Editorial

O Brasil amanheceu nesta quarta-feira, com mais recorde de mortes por covid-19 para “engolir”. 4.195 pessoas perderam a batalha contra o coronavírus e não vão voltar mais para suas casas, suas famílias, seus amigos. São milhares de vítimas que não vão poder dizer mais “tchau, até mais tarde”, “que horas você chega?”, “me espera que eu tô chegando”. 4.195 famílias não escutarão mais a voz dos seus entes queridos, não verão mais seus sorrisos. Este montante faz parte  do total de 337 mil vidas perdidas. Em Divinópolis a situação não é diferente. A semana começou com dois recordes seguidos de mortes causadas; foram 12 confirmações na segunda e 10 na terça; ontem foram duas, já são 245 divinopolitanos de várias partes da cidade consumidos pelo vírus. 

Dia 7 de abril, ontem, foi Dia do Jornalista, e não houve entusiasmo para nenhum profissional, isso é fato. Havia apenas a sensação de que era preciso juntar forças para se manter de pé, e garantir que a informação fosse levada à população, mesmo em meio ao caos instalado. Na data, houve apenas um motivo para ser comemorado: a resistência. Pois, apesar das fakes news, e dos recordes que nos destroem um pouco a cada dia, resistimos. Resistimos em nome da boa informação, da profissão, em nome da luta diária contra as notícias falsas. Resistimos, pois se uma vida é salva porque uma fake news foi destruída, tudo já faz sentido, afinal, ninguém aguenta mais. Ninguém aguenta mais noticiar políticos espalhando por aí que existe tratamento precoce contra a covid-19 (e pessoas acreditando). Ninguém aguenta mais noticiar que há filas de transplante de fígado porque pessoas fizeram o uso do tal “tratamento precoce”. Definitivamente, ninguém aguenta mais. 

Mas em nome do que acreditamos, do que lutamos todos os dias, continuamos, e resistimos. Resistimos para salvar o máximo possível de pessoas dessas notícias falsas que só nos trouxeram para o abismo. Resistimos contra os gritos, contra os ataques, pois acreditamos só a verdade liberta, e só a ciência salva. Sim! Não há negacionismo nesse mundo capaz de nos fazer desistir da verdade e da ciência. Afinal, se tratamento precoce ajudasse em alguma coisa, não estaríamos noticiando todos os dias, mais um novo recorde de óbitos causados pelo coronavírus. E é justamente por isso que resistimos. Para salvar o máximo de vidas possível com a informação. Ninguém aguenta mais, mas nos munimos de força, dia após dia, para que possamos noticiar em um novo dia a diminuição do número de casos confirmados, suspeitos e de mortes. E é por isso, que nos mantemos firmes e de pé, porque a vida segue, assim como as informações com credibilidade precisam ser dadas, todo dia, toda hora.

Comentários
×