Nem só de promessas

Faltam 14 dias para 2019, enfim, acabar. E, mais uma vez, um ano vai embora com Divinópolis cheia de promessas. Aliás, de uns anos para cá, a cidade vive apenas disso, de palavras vazias, discursos revoltados, vídeos disso, daquilo, e ação mesmo, nada! A cidade encerrará ano com o quinto adiamento da entrega da Estação de Tratamento de Esgoto do Rio Itapecerica (ETE Itapecerica) pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa). E quem sabe, com a benção de Deus, ou mesmo com a sorte do destino, a estação de tratamento seja entregue no primeiro semestre de 2020? Mas, na Cidade do Divino, se fala muito e pouco faz, o que mais tem é político para falar, reclamar, xingar o prefeito, e só. Político para arregaçar as mangas e cobrar, fica só no sonho, ou talvez para a próxima legislatura, se o povo for consciente e souber escolher.

No entanto, a ETE não é o único novelo de lã sem fim. A cidade tem também o Hospital Público Regional Divino Espírito Santo. Aquela sim é uma novela de respeito, e o exemplo vivo de como o dinheiro público é mal gerido, bem debaixo do nariz do eleitor. Mais de R$ 60 milhões foram investidos na construção inacabada, que tem 36 mil metros quadrados e teria mais de 200 leitos credenciados ao Sistema Único de Saúde (SUS), para atender aos 53 municípios da macrorregião de Divinópolis. No dia 8 de dezembro, completou-se um ano que o movimento criado pela Federação das Indústrias do Estado Minas Geral (Fiemg), que juntou os deputados federais e estaduais que tiveram votos em Divinópolis, em um “mutirão” para concluir as obras. A ideia era fazer com que os parlamentares direcionassem parte de suas emendas para a conclusão da unidade.

Como de costume, um ano se passou desde o encontro, onde apenas oito deputados compareceram, e nada, absolutamente nada, saiu do papel ou do “gogó” ou do campo das promessas. A finalização do hospital meio que “sobrou” para o Consórcio intermunicipal de Saúde de Urgência (Cis-Urg), o órgão regulador do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O Cis-Urg apresentou um projeto de finalização e custeio do hospital ao Governo do Estado e aguarda o posicionamento do Executivo Estadual para quem sabe alavancar os sonhos de milhares de pacientes de Divinópolis e região.

É aquela história: ano novo, velhos problemas, velhas promessas. Talvez a única coisa que dê um pouco de esperança ao divinopolitano, de fé de que nem tudo está perdido, seja a entrega de parte da obra da duplicação da MG-050. A AB Nascentes das Gerais garantiu que o trecho da Avenida JK será entregue ainda em 2019. Talvez seja este o ponto de luz que tanto precisamos para voltarmos a acreditar que a cidade, um dia, possa voltar aos trilhos do desenvolvimento. E que nem só de promessas vive o homem, mas da concretização de projetos. É só um sonho, mas que sonhado por muitos, pode virar realidade e, que, pelo amor de Deus, não se transformem nos pesadelos dos últimos anos, especialmente, 2018 e 2019, quando as CPIs foram o carro chefe da política local. Que, mesmo sendo ano de eleições, 2020 possa vir sorrindo para os divinopolitanos que há muito não sabem o que é isso. Mas, como a tempestade pode demorar que passa, os guerreiros continuam na luta acreditando em dias melhores. Que assim seja!

Comentários
×