Nem o circo escapa da criminalidade em Pitangui

Ricardo Welbert

A cidade de Pitangui recebe de novo o circo Kalahary, mais conhecido como Circo do Cherosinho. Isso porque o dono do circo é o Marcos Guidio, que dá vida ao palhaço Cherosinho, um personagem que faz parte da memória afetiva de muitos de nós, pitanguienses.

Tenho duas ponderações a fazer sobre a presença do circo na cidade. Uma boa. A outra, nem tanto. Comecemos pela boa.

Ainda não sei de quem foi a ideia de instalar o circo no terreno da antiga fábrica de tecidos, mas foi uma sacada genial. É um espaço muito melhor do que aquele terreno no Centro ou aquele outro no Chapadão, perto do viaduto, onde circos e parques foram instalados.

Já que o terreno da fábrica está lá, limpinho, não custa nada deixar que a trupe se instale. É um ponto mais acessível e que parece mais seguro também. Só parece, viu...

Porque agora eu tenho a ponderação que não é boa.

Nesta segunda-feira, 25, fui ao espetáculo das 20h30. O circo estava cheio. Foi uma apresentação muito divertida, como sempre. Depois eu fui conversar com o Cherosinho. A gente estava batendo um papo sobre um projeto que estamos planejando.

Ele estava todo feliz quando a mulher dele chegou pra dar a notícia: algumas pessoas haviam sido assaltadas bem na entrada do circo. Dois criminosos em uma moto, aparentemente armados com revólver, ameaçaram algumas pessoas que estavam em frente ao portal da antiga fábrica e exigiram o que elas tinham. Algumas dessas pessoas assaltadas são integrantes do circo.

Um deles tinha um iPhone, que é um celular da Apple que os ladrões têm evitado roubar porque ele vem com localizador com GPS, que permite que o dono do aparelho saiba facilmente onde o objeto está. Então, preferiram não levar. Mas fizeram questão de jogar no chão e espatifar o celular do rapaz antes de fugirem na moto.

Felizmente, ninguém ficou ferido.

Mas, estar ao lado do Cherosinho quando ele recebeu a notícia e correu pra conversar com as pessoas assaltadas foi triste. O riso fácil do palhaço bobalhão que gosta tanto de Pitangui se desfazendo pra uma expressão de decepção.

Que tristeza.

Muito triste.

Em breve o circo irá embora, em busca de mais um lugar para mostrar sua arte. Desta vez, levando na bagagem a decepção com a Pitangui de agora, que é tão diferente da Pitangui de outrora.

Fica aqui minha solidariedade aos visitantes que foram alvos da criminalidade na cidade e o repúdio à atitude mesquinha de bandidos que eu nem sei se são de Pitangui – mas que, se forem, não merecem ser chamados de pitanguienses, porque não são como a gente. Não representam a verdadeira essência desse lugar.

Comentários
×