Nélio Torres lança o sétimo CD da carreira

 

Já se vão 27 anos, desde que o bom paraibano Nélio Torres gravou o seu primeiro disco, aquele enorme, chamado também de bolachão, e estreou com o pé direito no cenário musical brasileiro. Com temática forte da música do Nordeste e viés regional, o disco foi batizado com o nome de uma das mais belas praias de sua terra natal, a adorável João Pessoa, Tambaú. Bem no centro da capital da Paraíba, Tambaú talvez seja a praia mais frequentada da capital da Paraíba e seu nome tem origem no tupi; quer dizer lugar dos mariscos. Assim também é o disco de Nélio Torres, cheio de ritmos e letras que traduzem bem aquele universo musical beira-mar da Paraíba e do Nordeste brasileiro.

Depois do primeiro trabalho de 1990, vieram outros seis CD’s, sendo eles: Canto Novo, de 2000; Em busca da infância encantada, também 2000; Jardim das canções, de 2004; Boi dos cajueiros, de 2005 e Zumbidos, de 2014. Nélio Torres se destaca no novo trabalho com belas canções e letras, como a música de trabalho do CD, Evolução, em que o compositor canta e pede em tom de oração por “evolução, Terra”!

Escolha

Nélio esclarece que o nome curioso do CD, BANXHURNA, “significa a flor vermelha do cume da montanha, uma flor endêmica da região da Basilicata, na Itália.

— Isso traduz bem a atmosfera do disco, raro em beleza, sutilezas e originalidade. Não podemos deixar de destacar que o compositor também é mestre de Cavalo Marinho, uma das mais importantes e mais antigas atividades de bois do Brasil, classifica por Oswaldo de Andrade como sendo a primeira. Isso esclarece o porquê da indumentária da capa do CD, que tem Nélio com as vestes de mestre do Cavalo Marinho Estrela da Paraíba — revela.

 As canções

Composto por 12 canções, muitas delas em parceria, configurando bem a penetração nacional de Nélio Torres, que acumula na carreira prêmios e homenagens por todo o Brasil, o autor revela que “o CD já está disponível em diversas plataformas digitais, desde setembro do ano passado. A data de lançamento do CD será no dia 13 próximo, na Usina Cultural Energisa, em João Pessoa, na Paraíba, com diversas participações especiais, entre elas a de Roberta Nistra (RJ), Socorro Lira (SP) e Henrique Cazes (RJ),

O CD

O CD foi gravado em João Pessoa, no Espírito Santo e no Rio de Janeiro, entre os anos de 2015 e 2017, e contou com alguns arranjos e direção musical de Giba Nascimento, outros de Victor Lustosa, Gabriel Araújo, e do próprio Nélio Torres, além dos arranjos das musicistas Mayra Ferreira (Cello) e Rayssa Melo (violino), que podem ser ouvido na canção Evolução. Sobre as gravações, Nélio lembra que fez tudo de forma bem coletiva, participativa, tendo sempre a intuição dos experimentos musicais, sempre buscando o novo, como o harmônio e Mridangan (instrumentos indiano), Casaca (instrumento Capixaba), Rabeca (Cavalo Marinho), Xilofone de vidro (artezanal), e outros. Isso tudo pode ser percebido na maioria das canções — completa orgulhoso com o resultado final.

Para quem quiser ouvir um pouco do CD e só acessar: http://www.tratore.com.br/um_cd

 

Comentários
×