Negócios com o exterior começam ano em queda em Divinópolis

 

Pablo Santos

Os negócios com o exterior em 2019 retraíram em Divinópolis. No primeiro mês do ano, o faturamento acenou uma ligeira queda de 2,1%, quando se compara com o ano passado, de acordo com os dados do Ministério da Economia. Em Minas Gerais, as vendas apontaram alta.

Conforme os dados apresentados, as exportações divinopolitanas somaram US$ 23,8 milhões em janeiro deste ano. No ano passado, neste mesmo período, o faturamento chegou a US$ 24,3 milhões, ou seja, queda de 2,1%.

De acordo com o Ministério da Economia, 96% das exportações de Divinópolis em janeiro são de produtos siderúrgicos. Os produtos semifaturados de ferro e aço representam a maior fatia: 76% da pauta de exportações. 16% são do ferro fundido e 6,6% de ferro não ligado.

A República Dominicana foi responsável pela compra de 50% dos R$ 23,8 milhões exportados no primeiro mês do ano por Divinópolis. A Guatemala, que ficou em segundo, com 25%, e Formosa, com 8,6%, foram os principais parceiros comerciais da cidade.

Minas

Segundo as informações do Ministério da Economia, as exportações mineiras renderam US$ 1,998 bilhão em janeiro, contra US$ 1,969 bilhão no mesmo mês de 2018, o que significou um aumento de 1,5%. O minério de ferro e o café representaram, juntos, praticamente a metade (49,6%) de tudo que o Estado vendeu no exterior.

No primeiro mês do ano, as vendas de minério de ferro no mercado externo somaram US$ 663,8 milhões, com alta de 10,5% em relação às remessas do mesmo mês de 2018, de US$ 600,7 milhões. Já em relação ao café, os embarques chegaram a US$ 328,7 milhões no primeiro mês de 2019, com crescimento 4,7%, em igual comparação.

A China e os Estados Unidos foram, nessa ordem, os principais parceiros comerciais de Minas Gerais. Os chineses compraram US$ 592,9 milhões em mercadorias mineiras durante o mês de janeiro, o que equivale a praticamente 30% de tudo que Minas vendeu fora do País. Já os norte-americanos tiveram uma participação de 11% nas vendas externas estaduais.

Comentários
×